As 8 Tendências: Online Oxygen (um adendo)



Ontem, 14/12/2007, recebi em minha caixa de entrada a última edição do e-newsletter do San José Mercury News, Good Morning Silicon Valley. O artigo principal, de John Murrell, parecia até uma continuação do que falei no último post, sobre a movimentação do Google. Vou ousar fazer uma tradução livre de alguns trechos.


 


A filosofia do Google: “knol”-se


 


(…) a missão do Google não é mais simplesmente organizar a informação do mundo (e colar anúncios nela), mas estimular a criação de informação adicional – através de blogs, vídeos, mapas, mashups, widgets e coisas assim – para ter mais do que organizar e monetizar. (…) Agora, o Google tem uma nova tarefa para sua força de trabalho civil: construir uma enciclopédia para nós.


No que pode ser uma enorme expansão do seu papel de hospedar, em vez de apenas apontar para , conteúdo, o Google está experimentando deixar os usuários criarem o que chama de “knol”, uma unidade de conhecimento (unit of knowledge) – essencialmente, uma página web que disponibiliza algo como um verbete enciclopédico de um dado tópico (mais informações em http://searchengineland.com/071213-213400.php). (…)


Agora você está pensando, “não temos já uma enciclopédia online colaborativa… wiki-alguma-coisa?” Temos, de fato, e os caras do Google sabem bem disso, porque os verbetes da Wikipedia tendem a aparecer bem no alto das páginas quando se faz uma busca no Google. Mas o plano do Google é base em um modelo que destaca o expertise individual em vez do conhecimento coletivo. Diferente da Wikipedia, onde contribuintes e editores ficam por trás do pano, cada knol representa a visão de um único autor, que é destacado proeminentemente na página. Os leitores poderão adicionar comentários, revisões, rankings e knols alternativos sobre o assunto, mas não poderão editar diretamente o trabalho de outros, como na Wikipedia. E o Google está oferecendo outro incentivo – autores de knols poderão incluir anúncios e ganhar uma fatia da receita.


(…) da perspectiva de um usuário, eu acho que parecem mais complementares do que concorrentes (…)


(…) Até onde representa um perigo para o tráfego da Wikipedia (…) Google afirma que não vai dar aos knolls nenhum ranking especial para faze-los aparecer, mas quanto mais o Google colocar seu próprio conteúdo concorrendo com o que indexa mais as pessoas vão desconfiar.