O canal para quem respira cliente.

Atendimento mortal, DNA digital, workshop Investindo em empresas…

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Estudo: atendimento ao consumidor pode matar uma marca

Garrafa que utiliza tecnologia da NASA para filtrar água. leia abaixo

O Temkin Group publicou recentemente seu 2013 Temkin Customer Service Ratings, que avaliou 235 empresas de 19 setores, baseado no feedback de 10 mil consumidores dos EUA. Os resultados são preocupantes principalmente para provedores de TV e Internet. Segundo os consumidores, eles são péssimos – nove entre as 10 últimas posições estão ocupadas por esses serviços. As montadoras de automóvel americanas também têm com o que se preocupar: a Chevrolet e a Chrysler foram listadas como as piores no segmento, enquanto a Toyota, como a melhor. A Apple foi bem avaliada como fabricante de computadores, mas está derrapando no varejo, onde suas Apple Stores ranquearam muito mal. De acordo com Bruce Temkin, sócio-diretor e customer experience transformist do Temkin Group, “os profissionais de marketing não podem olhar para o outro lado quando se trata de atendimento ao cliente. Se o seu papel é o construir uma marca atraente que leva clientes para o seu negócio, então você não pode ignorar o serviço ao cliente.” E as razões são simples, segundo ele: atendimento ao cliente define uma marca, cria boca a boca, oferece informações chave e cria ou destrói a fidelidade. Fonte: DMNews  (publicado originalmente no Portal Abemd)

Executiva conta segredos de como a Walgreen’s está criando um “DNA digital”

Uma estratégia digital bem sucedida combina um profundo conhecimento do negócio com experiência digital, usando um programa para inovar e “eventualmente, transformar toda a organização”, afirma Sona Chawla, presidente da divisão de Ecommerce da Walgreen’s. Em entrevista para o blog Shop.org, Chawla falou sobre o desenvolvimento do “DNA digital” da Walgreen’s e como ferramentas de tecnologia estão apoiando as “flagship stores” da rede.  Segundo ela, desenvolver um DNA digital é fundamental para as empresas que não nasceram digitais. Cada empresa, no entanto,terá provavelmente um único caminho para isso – algumas vão trazer talentos de fora, enquanto outras vão evoluir a partir de dentro. “Na Walgreen’s”, contou, “começamos desenvolvendo grandes ativos digitais. Usando essa abordagem, criamos recursos como o Refill by Scan e Quickprints que têm encantado nossos clientes. Para apoiar suas 11 ‘flagship stores'”, uma iniciativa que busca transformar a experiência do consumidor através de todos os pontos de contato, foram desenvolvidos vários recursos e iniciativas, como por exemplo:

  • Capacidade de mapeamento na loja a partir do aplicativo móvel que funciona como um GPS dentro da loja, ajudando os clientes a localizar os produtos
  • Mensagens de texto que os clientes podem optar por receber alertas quando sua receita está pronta
  • iPads com guias de saúde e acesso ao walgreens.com para informações e ferramentas adicionais de saúde para melhor atender os clientes estão disponíveis no interior da loja
  • Completa capacitação digital do programa de fidelidade Balance Rewards, com mais de 79 milhões de participantes, permitindo acesso ao cartão de premiação e gestão dos pontos através do aplicativo móvel. Além disso, a Walgreen’s foi um dos primeiros a adotar o Passbook, da Apple, e trabalha atualmente junto à Samsung e à Microsoft para fazer o mesmo com a carteira digital dessas empresas

Os planos para o futuro incluem o uso de “wearables”, como o Google Glass, cuja evolução, afirmou Ms. Chawla, “estão acompanhando atentamente”. Fonte: shop.org  (publicado originalmente no Portal Abemd)

Integra realiza workshop Investindo em Empresas

Uma oportunidade imperdível de entender como pensam investidores, fundos e compradores estratégicos. Com a discussão de casos reais. Os moderadores serão Alex Granger, que atua há mais de 40 anos na criação e gestão de Family Offices, Investment Banks e Asset Management Companies, e atualmente assessora empresas de M&A, Fundos de Private Equity internacionais e empresários no desenvolvimento de empresas lideres de mercado, através de aquisições “Buy and Build”, e também fundos de investimento a melhorar a performance de seus portfólios, e Francisco Martinez, co-fundador da Integra Global Business Networks, onde atua como Managing Partner e gestor de negócios nacionais e internacionais, e que, ao longo de mais de 30 anos de experiência profissional, participou como investidor e gestor em mais de 20 empresas nos setores industrial, comercial e serviços. O workshop acontece no próximo dia 19 de setembro, das 13:30 às 19 horas, no Auditório do Ciesp Sul, AV. Bernardino de Campos, 145 – Brooklin – São Paulo. Inscrições e informações com a Sra. Marta pelo telefone 011 3926-5060.

Garrafa elimina impurezas e transforma Coca-Cola em água

A empresa sueca ÖKO comercializa uma garrafa que utiliza uma tecnologia desenvolvida pela NASA, capaz de eliminar mais de 99,9% das impurezas da água. Os suecos também prometem que o recipiente pode transformar a Coca-Cola em líquido transparente, livre de corantes, aromatizantes e outras propriedades industrializadas – mas, de acordo com um teste, o filtro ainda parece preservar o açúcar. O sistema de filtragem da garrafa especial é composto por um dispositivo cujos poros têm apenas dois mícrons de diâmetro. Invisíveis a olho nu, estes pequenos furinhos fazem com que a garrafa possa filtrar com eficiência a quantidade de água disponível em até 100 galões – assim, a alternativa pode ser utilizada nos locais que sofrem com a falta de saneamento básico, problema comum nos países em desenvolvimento. Leia mais e veja vídeo em Ciclo Vivo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima