Brasileiros pagam com dinheiro vivo e preferem gastar a poupar



(Mais um artigo que tomo emprestado do Luiz Alberto Marinho, via o site www.bluebus.com.br – leitura diária obrigatória para quem é do ramo. Aproveitem também para conhecer o Blog do Marinho: http://marinhonoblog.blogspot.com/ – mas este artigo não foi publicado lá, pelo menos não ainda, apenas no Blue Bus.)

 


Apesar de vivermos em plena era digital, os meios de pagamento eletrônicos nao sao páreo para o velho e bom dinheiro de papel aqui em nosso país. Nada menos do que 77% dos pagamentos de contas e compra de produtos e serviços no Brasil sao feitos em dinheiro vivo. Coerentemente, 55% dos pagamentos de salários aos empregados nas nossas empresas sao em espécie. No Nordeste, esse percentual sobe para 70%. Os dados sao de uma pesquisa feita pelo Datafolha para o Banco Central.


Na média, o brasileiro anda com R$ 31 na carteira diariamente. Parece muito, nao acha? Mas quem puxa essa média para cima sao os ricos. Na verdade 1/3 das pessoas conta com apenas R$ 10 reais. Aliás, é exatamente essa quantia, R$ 10, a mais retirada nos caixas eletrônicos do país.

A preferência por dinheiro vivo, entre outras coisas, é consequência da dificuldade que a populaçao de baixa renda tem para abrir e manter uma conta em banco e de um hábito arraigado das pessoas mais humildes, que ainda preferem manter suas economias guardadas embaixo do colchao. Falando em economias, sabe aquela história de encher o cofrinho de moedas como forma de poupança? Pois é, esse hábito perdeu-se no tempo. Apenas 25% das moedinhas recebidas pelos brasileiros sao guardadas em casa e mesmo assim, por pouco tempo. Nosso povo gosta mesmo é de gastar.