Como irritar um blogueiro em rápidas lições



Mais um texto interessante que pesquei do blog Church-Of-The-Customer. Ben McConnell conta agora sobre a desagradável experiência que teve com uma empresa chamada Vocus, que comercializa um banco de dados de jornalistas e outros profissionais de veículos, inclusive blogueiros. Acho que há algumas lições de marketing de relacionamento aqui.


Segundo Ben, “Vocus entrou em foco pela primeira vez no ano passado com a distribuição de um documento chamado “Five Golden Rules for Blogger Relations”, Cinco Regras de Ouro para o Relacionamento com Blogueiros. A regra número um era “Não envie spams para blogueiros.” Em uma clássica derrapada de marketing, Vocus despejou spams em cima dos blogueiros para anunciar a eles o documento que os instruía a não enviar spams para blogueiros.


“Sem deixar-se intimidar, Vocus tornou ainda mais poderoso seu sistemas de spamming, adicionando nele a informação de contato dos blogueiros. Pouco meses depois, sem aviso”, continua Ben, “eu comecei a receber spams regulares de clientes da Vocus, como o Virginia Tourismo Board e o Eight O´Clock Coffee, contando-me coisas sobre as novas maravilhosas campanhas.”


A situação é bem kafkaesca, diz Ben. Blogueiros podem tirar os seus nomes da lista de spam da Vocus, mas apenas da lista daquele cliente. Outros clientes da Vocus podem, e vão, mandar spams para você porque você continuará no database principal. “Isso dá um novo sentido ao termo ´audiência cativa´”, comenta Ben.


“Quatro vezes durante quarto meses, eu usei o ´contact info´ do site da Vocus para pedir a remoção completa do meu nome”, conta Ben. “Nenhuma resposta. Finalmente, eu liguei para o telefone princpal da Vocus e pedi para falar com alguém. Julie retornou minha ligação 30 minutos depois e me prometeu retirar meu nome do sistema deles. Pareceu um bom momento para perguntar a Julie sobre as práticas da Vocus:


Como os blogueiros são adicionados ao sistema? A Vocus monitora os blogs principais de certas categorias e então coloca os dados no database. Sem permissão, perguntei. Sim, respondeu ela. A maioria dos blogueiros acha isso normal, disse. Como ela sabe se não perguntou a eles em primeiro lugar?


“Por que eu não posso fazer um opt-out completo? Estamos trabalhando nisso, disse ela, e prometeu investigar porque não tinha havido respostas aos meus quatro emails.”


O texto do Ben termina em uma chamada direta a clientes da Vocus, como Scottrade, People´s Energy e Southwest Airlines. Eles deviam saber que o fornecedor deles estava trazendo um modelo tipo velho mundo de relação com a mídia para o modelo de novo mundo da blogosfera. Seria interessante que eles interferissem e fizessem a Vocus parar de dar tipo no próprio pé e no pé dos seus clientes.