Direitos do Consumidor – Você sabia?



O Dia Mundial do Consumidor é uma data celebrada no dia 15 de março, e foi criada para proteger e lembrar sempre dos direitos do consumidor, não apenas para eles mas também para as empresas e países.


Origem do Dia Mundial do Consumidor


No ano de 1962, o presidente dos Estados Unidos, John Kennedy, instituiu o Dia Mundial dos Direitos do Consumidor, para dar proteção aos interesses dos consumidores, e 23 anos depois, a Assembléia Geral das Nações Unidas (ONU) adotou os Direitos do Consumidor como Diretrizes das Nações Unidas dando assim, legitimidade e reconhecimento internacional para essa data.

 

Ainda bem que temos muitos avanços, mas em alguns casos por ignorância ou desconhecimento não utilizamos nossas conquistas.

leiam este texto enviado a mim esta semana e tire suas conclusões:

 

Senha de horário nos bancos. ( Lei nº 13.948/2005)



Há cerca de um mês eu entrei no Banco Itaú para fazer um pagamento e, quando vi o tamanho da fila, pensei: ´Vou ficar horas aqui dentro´.

Foi quando me lembrei da lei que entrou em vigor na capital paulista (e no Brasil), que regula o tempo máximo de espera em fila bancária. Salvo engano, são 20 (vinte) minutos em dias normais, e 30 (trinta) em dias de pagamento de pensionistas do INSS.
Assim sendo, solicitei a um funcionário a senha com o horário de entrada na fila, pois se o tempo excedesse, eu encaminharia o papelucho para a prefeitura multar o banco.
Entrei na fila, e notei que de repente aquele som que sinaliza caixa desocupado, começou a tocar com maior freqüência, e a fila foi diminuindo rapidamente.
Quando cheguei ao caixa, ele solicitou a senha para autenticar, e eu fiquei intrigado. No meio de tantos clientes, como ele sabia que a senha estava comigo?
Examinei então os dois horários, entrada e saída e constatei que foram 17 minutos de fila. Eu esperava ficar mais de uma hora.
Percebi que quando eu pedi a senha, o gerente colocou mais caixas e o atendimento fluiu rapidamente.

Hoje, fui novamente ao mesmo banco e dei de cara com a mesma fila imensa. Não tive dúvida. Procurei um funcionário e pedi a senha. Ele, fazendo cara de bobo, perguntou:
– Que senha? Não tem senha. Entre na fila.

Eu insisti.

Ele disse que não sabia de senha alguma…
Procurei os caixas e notei uma plaquetinha discreta que dizia: ´Se necessitar senha, solicite ao caixa´.
Pedi a senha ao caixa, e ele fez outra cara de bobo e disse:
– Que senha?
Parece que os funcionários já estão treinados a não fornecer a senha.
Então eu exigi:
– A senha que diz o horário que eu entrei na fila. É lei…
O caixa meio contra vontade forneceu a senha e eu entrei na fila.
No início continuou lenta, quase não andava.
De repente, o mesmo fenômeno, começou o som que não parava mais, e a fila foi rapidamente diminuindo.

Quando cheguei ao caixa, desta vez não foi surpresa, ele pediu a senha pra autenticar, e após a autenticação, ele se virou para uma senhora que circulava por trás dos caixas, com cara de gerentona, e em resposta à pergunta dela de…´E aí? Tudo bem?´
O caixa respondeu:
– BELEZA.
Matei a charada! ´BELEZA´ foi a constatação que o caixa fez.
Fui atendido em 14 (quatorze) minutos.
E a gerentona então deu um sinal que eu entendi que seria para alguns dos caixas voltarem para os locais de onde foram retirados para atender ao público.

MORAL DA HISTÓRIA – Existe sim um número de funcionários nos bancos, suficiente para atender dignamente o público, porém eles são desviados para outras funções mais lucrativas, tais como vender seguro por telefone, enquanto os idiotas dos clientes ficam na fila.

Eu não fico mais.

Cada vez que entrar em um banco, exija sua senha com o horário. Vamos lutar por esse direito obtido.
Não sejamos bobos…
É só a gente divulgar e insistir para a lei ser cumprida.

Infelizmente quem me mandou o texto não assinou e também não sou advogado de nenhum banco. Só quero resssaltar que por ignorância não aproveitamos as conquistas como consumidor.