O canal para quem respira cliente.

Estudo: como o varejo pode sobreviver – e prosperar – em um mundo digital

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

A SAP acaba de publicar um estudo chamado “Retail in a digital world – how to survive and thrive in a world where technology is rewriting the rules of retail” que discute basicamente como enfrentar a questão da complexidade e garantir o controle do nosso future digital. A ideia é “reimaginar” tudo, de modelos de negócio a processos do varejo e como as pessoas trabalham.

Na apresentação do estudo, Lori Mitchell-Keller, Global General Manager Consumer Industries da SAP, afirma que, “em 10 anos, o varejo terá uma aparência muito diferente. A loja deverá permanecer como a pedra angular para a maioria dos modelos de varejo, mas o ‘varejista do futuro’ terá que capturar a demanda e disparar processos de novas fontes, como os ‘vestíveis’, dispositivos móveis, casas e carros inteligentes. Praticamente todas as vendas nas lojas serão influenciadas pelo digital em 2020 e o varejista do futuro terá que ser excelente na orquestração dos processos principais no labirinto da quase infinita quantidade de caminhos de compra disponível para consumidores cada vez mais perspicazes.”

Ainda segundo ela, “um refrão que escuto constantemente é que há muita complexidade no varejo; no entanto, os consumidores têm a tendência de recomendar uma marca exatamente porque ela oferece experiências mais simples.” Traduzindo, as marcas que estão emergindo têm a simplicidade como mantra. Segundo um outro estudo, “Global Brand Simplicity Index 2014”, da Siegel+Gale, “marcas mais simples conquistam maior fidelidade do consumidor, estimulam inovação entre os funcionários e, a longo prazo, aumentam a receita”.

Nesse sentido, o estudo é radical: encontrar maneiras de funcionar de forma simples impacta cada vez mais na geração de inovação de negócio. E isso significa reimaginar modelos de negócios baseados em insights reais, não em tendências. Significa servir seus consumidores e não seus processos, fazer a tecnologia trabalhar para você e para seus clientes, não o contrário.

O estudo fala também da importância de reimaginar os processos e o engajamento do consumidor, que é, aliás, onde o digital tem maior impacto.

Se você está interessado em receber uma cópia desse estudo, coloque seu email em um comentário deste post.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima