O canal para quem respira cliente.

Grandes empresas provam que, para fidelizar seus clientes, comece com seus

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Ikea, eBay, Zappos: se você quer clientes fieis, engaje seus funcionários

A Time Inc. está cortando pessoal. Saiba mais abaixo

Um novo estudo realizado pela Cvent, empresas de softwares online, descobriu que as taxas de retenção de clientes são 18% maiores, em média, quando os funcionários estão altamente engajados no processo. É um número que muitas das melhores empresas que operam atualmente já conhecem há algum tempo, e alguns dos mais experientes, incluindo o eBay, IKEA e Zappos.com, encontraram maneiras de aumentar o envolvimento dos funcionários para aumentar a fidelidade do cliente. O relatório “Employee Engagement: Revenue Growth Strategy for 2014” também apontou que o aumento do envolvimento dos funcionários pode afetar positivamente o retorno do investimento. 33% das empresas pesquisadas relataram uma melhora significativa das margens de lucro quando os clientes estavam altamente engajados. O estudo online entrevistou 376 pessoas de empresas B2B e B2C. Entre as estratégias vencedoras, o estudo destacou o programa “Tack!” (obrigado, em sueco), da Ikea, que recompensa funcionários com mais de cinco anos na empresa, com contribuições para o fundo de aposentadoria. A quantia que cada funcionário recebe depende do desempenho de toda a empresa. Mas as empresas não precisam de um programa “oficial” para isso. A eBay da Alemanha incentiva os funcionários a vender seus próprios artigos através do eBay no horário do expediente. A empresa usa gamification para envolver os funcionários através de concursos, desafiando-os a vender a maioria dos itens. Quanto à Zappos, segundo Caitlin Whitehurst, da Colloquy, é difícil falar sobre fidelidade do funcionário sem mencionar a empresa. A loja online de sapatos e roupas oferece almoço gratuito, incluindo bebidas, sanduíches, sopas e saladas, e lanches para seus trabalhadores. A Zappos também oferece um “coach” em tempo integral disponível para falar com os funcionários sobre negócios e assuntos pessoais. Sua sede inclui ainda um “nap center”, onde os funcionários podem alguns cochilos extras se eles estiverem muito cansados. Fonte: Colloquy (via Portal Abemd)

Anúncios de carros geram grande aumento de buscas durante o Super Bowl

Os milhões de dólares em anúncios no Super Bowl aparentemente valeram a pena para a indústria automobilística, comenta Perry Simpson, no DM News. Os comerciais de diversas marcas de automóveis que apareceram durante o jogo geraram um aumento de mais de 2.000 % em buscas durante o período de uma hora após o anúncio ter sido exibido, em comparação com exibições em outros momentos, de acordo com análise do site AutoTrader.com. A Maserati teve o melhor desempenho: pesquisas globais para a marca cresceram 385% e pesquisas para o modelo Ghibli cresceram 2.143 % na hora após o comercial ser exibido. A Jaguar experimentou um aumento global de 208% nas pesquisas, enquanto buscas para o seu modelo F -Type , em particular, aumentaram 1.460 %. Marcas de maior volume apresentaram ganhos similares: buscas de Audi e Hyundai aumentaram 379 % e 373 %, respectivamente. Rick Wainschel, VP de insights automotivos no AutoTrader.com, acredita que o forte desempenho dos fabricantes de marcas icônicas é impressionante. No entanto, os números são mais notáveis nas marcas de volume porque é mais difícil para elas se destacarem. “Modelos como A3, Genesis, Fusion e Highlander têm muita concorrência e já estão na lista de compras dos consumidores”, comentou ele, em um comunicado, “por isso significa um pouco mais quando eles conseguem se destacar.” Fonte: DM News (via Portal Abemd)

Time Inc. anuncia centenas de cortes

O impacto negativo nos negócios de mídia tradicional pelas empresas de mídia Internet continua: ontem, 4/2, a Time Inc. anunciou cerca de 500 cortes em seu pessoal, composto até então de aproximadamente 7.800 funcionários. A empresa está sendo preparada para um IPO no final deste ano e a empresa-mãe, Time Warner, avança nos planos de spin-off do braço de publicações no segundo trimestre de 2014. As empresas de mídia estão enfrentando declínio das receitas tanto em publicidade impressa como digital – uma combinação mortal. As receitas de assinaturas de conteúdos online estão melhorando, mas não acompanham o ritmo de declínio das receitas de publicidade. Empresas de mídia do Vale do Silício, como Google e Facebook, são capazes de oferecer aos grandes anunciantes o acesso a um maior número de consumidores que as empresas tradicionais de mídia. E a preços muito mais baixos, porque não têm os mesmos custos de produção de conteúdo. Fonte: SiliconValleyWatcher (via Portal Abemd)

Nova rede social permite troca de tempo

Muitas vezes, gastamos nosso tempo online em atividades pouco produtivas. Minutos vendo inutilidades nas redes sociais poderiam ser dedicados a aprender algo, como tocar violão, dançar ou cozinhar melhor. Essa é proposta da Bliive, rede social que, em vez de funcionar como um espaço para compartilhamentos virtuais, encoraja as pessoas a ensinarem habilidades umas às outras por meio da troca de tempo.Por exemplo, você domina o inglês e quer muito aprender a fazer tricô. Então, você oferece a alguém uma hora daquilo que sabe fazer melhor e, em troca, ganha TimeMoney para buscar a habilidade que sempre quis aprimorar. O conceito da troca de tempo vem sido aplicado desde a década de 1980, segundo Lorrana Scarpioni, CEO e cofundadora da Bliive. Depois de assistir a dois documentários, o Us Now, sobre colaboração online e The Money Fix, sobre economia criativa, a empreendedora teve a ideia de unir o banco de tempo à internet, em 2012. “Comecei a ver que o dinheiro pode ser mais saudável e pensei em trazer a troca de tempo, que já existia, para o ambiente virtual”, afirma. Quando foi lançada, em agosto de 2013, a empresa contava apenas com Lorrana, dois designers e um programador. Desde então, a plataforma vem sendo utilizado por cerca de 12,648 pessoas de 51 países diferentes, o que resultou em mais de 21 mil horas oferecidas. “Foi mais boca a boca e apresentamos o projeto para blogs internacionais”, diz Lorrana. O Bliive é gratuito para todos os usuários e não trabalha com anúncios publicitários. A plataforma tem parcerias com ONGs que precisam de voluntários, o que possibilita aos usuários a troca de voluntariados por experiências no site. A iniciativa também tem um viés corporativo. Empresas que queiram incentivar a troca de tempo entre seus funcionários podem contratar o serviço. “Isso estimula a integração entre os funcionários e é um jeito de a empresa economizar com capacitação”, observa Lorrana. No momento, a empreendedora adianta que a empresa está finalizando investimento com um brasileiro. Outros investimentos, parcerias com pontos de troca e a criação de um aplicativo mobile também estão nos planos da Bliive em 2014. Meio&Mensagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima