Neutrinos mais rápidos que a luz foram resultado de um cabo solto

Aparentemente, não é só o Deivid que perde gols feitos. Os cientistas do CERN, ou seja, do mais avançado laboratórios de pesquisas sobre energia nuclear do mundo, acabam de confessar que a fantástica descoberta de partículas que se moviam em velocidade superior à da luz, anunciada no ano passado, também bateu na trave. Confirmada, a descoberta simplesmente jogaria a Lei da Relatividade einsteiniana no lixo, pois um dos seus pilares é exatamente a velocidade da luz como limiar. Mas tudo não passou de… má conexão. Confiram na matéria do iG.