Paradigmas & Paradoxos

0
2


Paradigma: literalmente modelo, é a representação de um
padrão a ser seguido. É um referência criada por nós para dar “conforto” as
nossas decisões. Já Paradoxo, é uma declaração aparentemente verdadeira que
leva a uma contradição lógica, ou a uma situação que contradiz a intuição
comum. Em termos simples, um paradoxo é o oposto do que alguém pensa ser a
verdade.

Alguns exemplos de paradigmas:Precisamos dormir 8 horas por dia” (Não é uma verdade universal); “O céu está cinza escuro e
nublado, deve chover
” (Pode ser que sim, pode ser que não); “A Suíça fabrica os
melhores relógios do mundo
” (Na verdade são os mais caros).

Alguns exemplos de paradoxos: “Eu amo a natureza, mas odeio
inseto
” (Inseto é da natureza); “Eu amo estudar, mas odeio ler” (Para estudar alguma coisa você precisa ler); “Esta frase é falsa” (Se esta frase
fosse verdadeira, quer dizer que o que ela diz é verdadeiro, então ela á falsa.
Mas ela não pode ser verdadeira e falsa ao mesmo tempo. Se ela for falsa,
significa que o que ela diz não é verdade, logo, quer dizer que ela é
verdadeira.Ela também não pode ser falsa, pois aí implica que ela também é
verdadeira. Então, esta frase é falsa ou verdadeira? Nem um nem outro, ela é um
paradoxo
)
.

Nos negócios é muito comum encontrarmos paradigmas e
paradoxos. Às vezes isso atrapalha muito o desenvolvimento de
uma empresa e seus colaboradores.  Às
vezes faz com que o negócio venha a quebrar ou passar por situação financeira
extremamente delicada.

Os paradigmas mais comuns das empresas são: “Nós sempre
fizemos assim e sempre deu certo…
“; “Temos que seguir o modelo do líder de
mercado se quisermos crescer…
“; “Quem determina os preços é o mercado….“;  “As empresas departamentalizadas são as que
dão certo…
“;  “Funcionário se motiva
com dinheiro….
“; e assim por diante.

Esses paradigmas são crenças equivocadas e desatualizadas. “Sentar
em cima
” de um paradigma é uma besteira enorme. Você já ouviu falar que devemos
“quebrar paradigmas”? Pois é, isto não existe. O certo é “trocarmos de
paradigmas
” sempre que necessário. Não vivemos sem paradigmas. Os nossos
paradigmas nos trouxeram até aqui. Precisamos revisitá-los sempre e mantê-los
atualizados. É o famoso “abrir a cabeça”. Dizem que duas coisas funcionam muito
bem abertas: a mente e o paraquedas.

O grande problema nas empresas são os paradoxos. Esses sim
são perniciosos e criam um clima nefasto dentro das empresas. Os principais que
conheço são: “Somos éticos em nossa empresa….” (mas a empresa tem caixa
dois
);  “Estamos num momento difícil e
temos que cortar os custos…
” (o dono aparece com um carro novo); “Aqui, somos
uma família…
” (se o funcionário chega atrasado é descontado do salário); “Aqui
todos estão comprometidos…
” (a empresa tem muitas ações trabalhistas); “Aqui
na empresa, prezamos pela competência…
” (não gasta um centavo em desenvolvimento
humano e, às vezes está cheia de parentes incompetentes do dono
);  e assim vai.

Esses paradoxos são um tiro no pé. Como eles ficam apenas
subentendidos e não explícitos, eles  corroem a confiança e significado do negócio.
Na verdade as pessoas são tratadas como objeto e não como sujeito. Essa
tensão, a médio prazo, tende a esgarçar o tecido organizacional de tal forma
que não há mais o que fazer. Os danos ficam permanentes e a empresa mingua até
perecer de vez.

Penso que há uma saída inteligente: o resgate da coragem em
todos os colaboradores e no próprio dono e/ou CEO
. Muitas pessoas pensam que coragem está relacionada a grandes feitos e atos heroicos, porém a coragem é
algo muito mais belo e esperançoso. A raiz da palavra Coragem vem de coração e ação, ou seja: Agir com o coração. Ter coragem não é enfrentar ou confrontar algo; ter
coragem é perceber a centelha divina que existe em cada ser humano para não
desanimar diante dos obstáculos, para nunca desistir da verdade, para
reconhecer os próprios erros e para consertar o que tenha destruído. Essa é a
verdadeira coragem que não precisa de lança e nem de escudo. Só precisa de
caráter e generosidade. Simples assim!