Pontos vs. premiações instantâneas: a guerra pela fidelidade

Mark Price, the managing director of Waitrose, has questioned the future of supermarket loyalty cards which offer
Mark Price, managing director da rede varejista inglesa Waitrose. Foto: PA

Será que os consumidores atuais não valorizam mais os pontos? Segundo Mark Price, managing director da rede de varejo inglesa Waitrose, essa questão deve ser abordada sob o prisma “do que os consumidores valorizam hoje, não do que eles valorizavam historicamente. As cartelas de selos e os pontos eram uma resposta ao que acontecia no pós-guerra…. eu não acho que onde o mundo está agora”.

Price, em matéria do The Telegraph, questiona especificamente os programas de supermercados que, segundo ele, oferecem cartões sem sentido, pois o consumidor atual não quer pontos, quer recompensas instantâneas.

Ele acrescentou que a prova disso é o próprio  sucesso do cartão myWaitrose, que oferece aos consumidores um copo de café ou de chá grátis — o varejista transformou-se no segundo maior fornecedor de cafés do Reino Unido, vendendo 1 milhão de copos de café por semana, menos apenas do que o McDonald´s.

Segundo ele, “dar de graça café ou jornais ainda é uma ação mercadológica disruptiva, mas eu acho que é o que os consumidores querem, eu não acho que queiram pontos. Pense bem, o que é um ponto? Eu acho que não tem sentido. Não tem a riqueza, a capacidade de engajar os você com os consumidores de uma maneira diferente.”

Esse caminho de sucesso está sendo trilhado por outras empresas, usando a solução The First Club, premiações digitais instantâneas, que eu represento aqui no Brasil. Informações pelo email [email protected]

2014 será o ano em que os pontos vão ser substituídos, ao menos parcialmente, por premiações imediatas. Enviem seus comentários.