Relatórios de spam precisam ser revistos



Segundo pesquisa realizada pelas empresas Q Interactive, de Chicago, e MarketingSherpa, de Warren, Rhode Island, os provedores precisam corrigir o sistema de anti-spam, por duas razões. A primeira é que a pesquisa descobriu que a definição de spam entre os consumidores mudou da tradicional “email comercial não-solicitado” para uma percepção mais subjetiva e centrada na insatisfação genérica do destinatário. A segunda, também registrada na pesquisa, é que os consumidores não têm a menor idéia do que acontece quando clicam no botão de “report spam”.


 


A palavra spam ampliou seu espectro de significação e, com isso, está criando problemas para quem trabalha de forma correta – e até mesmo para outros consumidores, que poderiam estar recebendo informações ou ofertas que solicitaram.


 


Segundo a pesquisa, muitas pessoas clicam no botão de “report email” porque acham que estão notificando o provedor que “não achou aquele email particulamente útil”. Alguns respondentes chegaram a dizer que recebiam emails demais “de todos os remetentes”.


 


Um ponto preocupante é que 43% não se preocupam em usar os links de cancelamento da assinatura no próprio email, preferindo usar o botão que “informa” o provedor ser aquele email um spam – mesmo que tenha dado permissão em algum ponto de sua vida.


 


Fonte: MediaPost