O canal para quem respira cliente.

São Paulo, Brasil - 28 de janeiro de 2022, 17:13

Varejo vai fundir online e offline, novas métricas do Facebook, e mais

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Varejistas pretendem fundir experiências de compra online e offline em 2014

O comércio eletrônico de varejo dos EUA vai continuar crescendo forte em 2014, com um aumento previsto de 15,5% (US$ 304 bi). Embora as vendas no ecommerce sejam responsáveis por apenas 6,4% das vendas totais no varejo dos EUA, o seu verdadeiro impacto será muito maior, de acordo com um novo relatório da eMarketer, “US Retail Ecommerce: 2014 Trends and Forecast”. De acordo com o estudo, o consumidor pode não comprar on-line o tempo todo, mas está comprando através de canais digitais constantemente. Dos 219,4 milhões de usuários de internet nos EUA com 14 anos e mais, eMarketer prevê que 196.6 milhões (89,6%) farão compras online este ano, em comparação com 163,2 milhões, que vão concluir uma compra fora do mundo digital. Ou seja, compras digitais nem sempre levam a uma conversão imediata. Mas há uma clara influência. E que funciona nos dois sentidos. De acordo com um levantamento realizado pela consultoria Accenture em novembro de 2013, 78% dos entrevistados relataram “webrooming”, ou seja, pesquisar online antes de ir a uma loja para fazer uma compra. Ao mesmo tempo, alguns passeios a lojas eventualmente conduzem a uma compra digital. O mesmo estudo da Accenture revelou que 72 % dos entrevistados “showroomed”, ou seja, compraram digitalmente depois de ver o produto em uma loja. “A maioria das lojas está aprendendo a [vender] online”, disse Marshal Cohen, analista-chefe do The NPD Group. “Quando descobrirem isso, o próximo passo será como fundirão online com a experiência de loja para melhorar os dois.” Fonte: eMarketer

A economia do compartilhamento veio para ficar?

A economia do compartilhamento está revolucionando os serviços voltados ao consumidor, graças à conveniência que oferece, mas sua influência pode ser maior em usos corporativos, escreve Mark Gilbreath, CEO da LiquidSpace, um marketplace de escritórios e salas de reuniões compartilhadas no blog Accelerators, do Wall Street Journal. “Olhe para a maioria das grandes empresas e você vai encontrar profissionais digitalmente alfabetizados insatisfeitos com as soluções fornecidas por seus departamentos de TI”, escreve Gilbreath. O investidor Alberto Escarlate, do Collaborative Fund, em outro post para o mesmo blog, escreveu que a atual resistência à economia do compartilhamento é passageira. “Independentemente dos obstáculos, a aceitação generalizada virá”, afirmou Escarlate. Fontes: Accelerators/WSJ

Facebook atualiza métricas para duração de views e retenção da audiência

Com o objetivo de oferecer a donos de páginas e anunciantes uma melhor leitura sobre a forma como os vídeos estão impactando os clientes, o Facebook está atualizando suas métricas de vídeo. Atualmente, o Facebook mostra apenas quantas pessoas começaram a assistir a um vídeo. Quando a atualização entrar no ar nas “próximas semanas”, segundo a rede, esses usuários receberão informações sobre visualizações de vídeos, visualizações de vídeos únicas, a duração média da visualização e a retenção da audiência. Como parte da mudança, o 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima