O canal para quem respira cliente.

YouTube está mais seguro para anunciantes? E outras questões

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Nova política do Google torna YouTube mais seguro para anunciantes

Estratégias mobile ao alcance de pequenas empresas. Confira abaixo

Uma nova política implementada pelo Google, que exige que comentários no YouTube sejam postados apenas por usuários logados em uma conta do Google+, diminuiu o volume de “trolls” e criou um ambiente mais seguro e mais atraente para os anunciantes, afirma o site Adweek. A medida está valendo desde setembro e, como resultado, o site passou a ter 40% a menos de comentários, de acordo com uma pesquisa da vidIQ. A empresa acredita, porém, que esse movimento deve ser revertido com a volta dos anunciantes que haviam deixado de postar videos em virtude dos ataques dos trolls. “O YouTube está colocando muito mais ênfase em fazer do site um lugar amigável para as marcas”, comentou Robert Sandie, co-fundador da vidIQ. E a ênfase é clara, como pode testemunhar o negócio de 100 milhões de dólares  com as agências Publicis shops DigitasLBi e Razorfish, anunciado na semana passada. Fonte: Adweek (via Portal Abemd)

Motores menores e mais eficientes já fazem parte da realidade brasileira

Recentemente, criou-se uma nova tendência para a motorização dos veículos: o downsizing. Ele consiste na fabricação de motores de menor litragem – ou capacidade cúbica – que consigam entregar potências semelhantes ou superiores aos propulsores maiores. Com isso, são reduzidos os custos de produção, manutenção e de consumo de combustível dos veículos. Estes motores usam tecnologias como o turbocompressor, injeção direta de combustível, sistema start-stop – que desliga o veículo automaticamente quando o motorista está parado e liga o motor quando o acelerador é ativado -, comando de válvulas variáveis e outros itens. Para Ildeumar Fernandes, diretor do Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos do Distrito Federal (SINCODIV/DF), a tendência, que é forte na Europa, vai ganhando espaço no Brasil. “Com esta tecnologia, um motor 1.4, alimentado com turbo, passa a ter desempenho idêntico ou melhor do que um propulsor 2.0”, explica Fernandes. No continente europeu, o downsizing está mais ligado à adequação de emissões de veículos. No Brasil, ainda é algo novo, mas tende a se afirmar e ganhar o mercado. Dependendo do propulsor, pode haver um ganho de 8 a 20% de torque e melhora no consumo de 10%. Outro benefício é que com motores menores, sobra mais espaço no cofre dos motores, permitindo mais facilidade na hora da manutenção. Para o consumidor, não deve haver apenas a melhora na autonomia dos veículos, mas também, no preço final. Com motores menores, há uso de menor quantidade e de componentes menores, o que barateia a produção e pode refletir nas vendas. Fonte: BrandPress

O Snapchat é a próxima grande aposta para atingir a geração do millennials?

Tudo leva a crer que o Snapchat é uma aposta segura para atingir as massas de adolescentes que estão saindo de redes sociais “mais velhas” como o Facebook. Mas qual o seu potencial para publicidade é uma dúvida que permanece. Acredita-se que o serviço está dominado por adolescentes e tem-se como certo de que tanto ele como o Whatsapp já são mais acessados pela geração dos “millennials” do que as outras redes, incluindo Facebook. O aplicativo, porém, não retém muita informação do usuário e construiu sua marca meio “na moita” – mensagens são bem mais privadas do que timelines e outros tipos de painéis das redes sociais mais conhecidas. O que gera afirmações como a do presidente da agência Tribal Worldwide, Rich Guest, que disse não conseguir pensar em nenhum dos seus clientes que estivesse disposto a sequer fazer um piloto no Snapchat. Fonte: Advertising Age (via Portal Abemd)

5 tendências que apontam o futuro das estratégias mobile para pequenas empresas

O site Business2Community publicou na sexta, 15/11, artigo de Andrew Gazdecki, fundador e CEO da Bizness Apps, em que o executivo arrisca alguns palpites sobre o futuro do mobile no meio ambiente das pequenas e médias empresas. Segundo Andrew, em primeiro lugar, é preciso deixar claro que os dispositivos móveis vieram para ficar e que, de muitas maneiras, estão substituindo os desktops. Pela primeira vez na história, informa ele, este ano, a maior parte das atividades na Internet será realizada por dispositivos móveis. E o que as pequenas empresas devem fazer para se manter competitivas daqui pra frente? Prestando atenção, diz Andrew, há pelo menos cinco tendências claras de para onde caminha o mobile. Assim, as estratégias terão que considerar que o mobile será mais local, mais visual, mais constante, mais social e mais promocional.Fonte: Business2Community (via Portal Abemd)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima