Clique e visite a landing do Congresso ClienteSA 2022

O canal para quem respira cliente.

Clubes precisam se preocupar com proteção de dados

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Entidades desportivas têm bases muito específicas e delicadas  

O tema de proteção de dados alcança diversos setores da sociedade e o setor desportivo não ficou de fora. Assim, além das bases de dados comuns da maioria das pessoas jurídicas, como dados de funcionários, dados de “clientes” e dados financeiros, as entidades desportivas têm bases muito específicas e delicadas.

Os dados sensíveis dos atletas impõem um cuidado ainda maior. Tanto os atletas profissionais quanto os amadores, independentemente da modalidade esportiva, possuem um acompanhamento médico e de performance que resulta em uma grande massa de dados sensíveis. 

Muitas vezes esses dados, além de sensíveis, cujo tratamento é regulado pelo artigo 11 da LGPD, são também dados de menores de idade, o que implica nos detalhes e restrições do artigo 14 do mencionado texto legal. Dessa forma, para tratar estes dados, deve-se ter o cuidado de verificar se as bases legais e requisitos da lei estão sendo atendidos e, se necessário, colher autorizações e/ou ajustar os contratos.

Tratando-se de dados de menores, é fundamental que haja consentimento livre e expresso dos pais ou responsáveis. Além disso, deve-se dar a segurança necessária a essa base de dados implementando mecanismos de segurança tanto para os dados fixados em suporte eletrônico quanto físico e regulando os compartilhamentos, para evitar incidentes e sobretudo, dando treinamento adequando e recorrente aos funcionários e colaboradores que tratam esses dados, bem como regulando as obrigações e responsabilidades dos agentes de tratamento por meio de cláusulas expressas e específicas.

O tratamento das bases de dados sensíveis dos atletas profissionais é ainda mais delicado, pois muitas dessas informações, se vazadas, acabam viralizando em função do interesse dos torcedores e da mídia especializada. A conscientização dos responsáveis por essas bases de dados é de grande importância para mitigar riscos. Não se pode esquecer de prever nos contratos que dados biométricos como monitoramento de saúde e imagem do atleta, por exemplo, compreendem dados sensíveis e portanto, precisando de regras bem delimitadas. 

Leia a matéria completa em https://www.conjur.com.br/2022-jan-26/opiniao-clubes-preocupar-protecao-dados

1 comentário em “Clubes precisam se preocupar com proteção de dados”

  1. Otimo, Adorei seu artigo, somente para complementar, tem um programa chamado: Software PCG, esse programa é um agregador de sites de classificados, ele tem mais de 340 sites de classificados grátis onde você pode anunciar, usando esse programa você pode anunciar de forma automática nesses sites, vale muito a pena usar ele agiliza muito o trabalho além de te dar uma lista que sempre é atualizada com novos sites, com esse programa você consegue gerar trafego orgânico e assim receber visitas dos buscadores como o Google e outros, eu sempre usei esse programa para fazer anuncios e faço vendas praticamente usando apenas ele. Fica ai a sugestão… Seu texto me ajudou muito. Muito sucesso a todos nos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima