Maior pesquisa brasileira sobre home office e práticas de trabalho remoto

Estudo foi realizado pela Mercer; 78% das 609 organizações do estudo adotam home office, trabalho remoto ou jornada flexível
O distanciamento social imposto como resposta ao COVID-19 tem levado as empresas a repensar e, em muitos casos, a reestruturar suas práticas de trabalho para garantir, na medida do possível, a continuidade dos negócios. A Mercer, líder global de consultoria em carreira, saúde, previdência e investimentos, desenvolveu uma pesquisa especialmente direcionada para que as organizações identifiquem e avaliem suas experiências e práticas de trabalho durante este momento de crise. A pesquisa “Práticas de Trabalho Flexível e Remoto”, realizada com 609 empresas no Brasil, revela que 78% das organizações oferecem pelo menos uma das seguintes modalidades de atividade laboral: home office, trabalho remoto ou jornada flexível. Dessas empresas, entretanto, 15% oferecem essas alternativas apenas devido à pandemia (COVID-19). Também dentre essas companhias que oferecem pelo menos uma das modalidades, 34% possuem uma política formal de trabalho remoto. Desse total, 22% relataram problemas com infraestrutura na implementação da política. Já entre as empresas que não possuem política formal, 88% consideram que a inclusão de uma dessas modalidades seria vista como um benefício pelos funcionários e seria positiva para os resultados da companhia. As organizações interessadas na pesquisa podem obter mais informações pelo correio eletrônico [email protected].


Boeing entrega os primeiros protetores faciais reutilizáveis produzidos por impressoras 3D para o combate a COVID-19
A Boeing entregou na sexta-feira, 10/4, o primeiro conjunto de protetores faciais reutilizáveis produzidos por impressoras 3D para profissionais de saúde que trabalham para impedir a disseminação da COVID-19. O Departamento de Saúde e Serviços Humanos (HHS, na sigla em inglês) recebeu a remessa inicial de 2.300 protetores faciais na manhã desta sexta-feira. A Agência Federal de Gerenciamento de Emergências (FEMA, na sigla em inglês) entregará os protetores no Centro de Convenções Kay Bailey Hutchison, em Dallas, Texas, que foi instituído como um local de atendimento alternativo para o tratamento de pacientes com a COVID-19. A Boeing deverá produzir milhares de outros protetores faciais por semana, aumentando gradualmente a produção para atender à crescente necessidade de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) nos Estados Unidos. A distribuição de protetores faciais adicionais será coordenada com o HHS e a FEMA, com base nas necessidades imediatas. A Boeing está produzindo protetores faciais usando as máquinas de fabricação aditiva nas instalações da empresa espalhadas pelos EUA.A Solvay, fornecedora de longa data da Boeing, forneceu a película transparente para os protetores faciais. Outro fornecedor, a Trelleborg Sealing Solutions, doou o elástico usado na testeira ajustável. A Boeing também ofereceu o uso de seus recursos exclusivos de transporte aéreo, incluindo o Boeing Dreamlifter, para ajudar a transportar suprimentos essenciais e urgentemente necessários para os profissionais de saúde. A empresa está coordenando estreitamente com funcionários do governo a melhor forma de fornecer suporte de transporte aéreo.

Apple e Google têm novidades. Confira
A Apple está trabalhando em uma nova maneira de oferecer partes específicas de aplicativos de terceiros em todo o sistema sem precisar instalá-los. O site 9to5Mac descobriu isso com base na análise do desenvolvimento inicial do iOS 14. O recurso permitiria que os usuários experimentassem partes da funcionalidade de um aplicativo digitalizando um código QR. Já a novidade do Google tem a ver com branding. A empresa removeu oficialmente a marca Hangouts de sua oferta corporativa do G Suite ao mudar o nome do serviço de Hangouts Chat para simplesmente Google Chat, confirmou a empresa ao The Verge na quinta-feira. A mudança de nome segue uma mudança de nome semelhante, confirmada ontem, no aplicativo complementar de videoconferência Hangouts Meet que passa a se chamar Google Meet. Fontes: 9to5Mac, The Verge