Matthew McConaughey ensina os profissionais de marketing a contar histórias

“Se você não acredita [no produto], o consumidor não acreditará nele”,  
O ator Matthew McConaughey está oferecendo conselhos de marketing aos contadores de histórias como parte da série do YouTube “Stan Talks”, que recebeu o nome do guru da publicidade Stan Richards. McConaughey sugere que os profissionais de marketing se concentrem na criação de um produto ou na necessidade e desenvolvam uma história atraente para se conectar com os consumidores, alertando: “Se você não acredita [no produto], o consumidor não acreditará nele”, comenta o astro. No vídeo —  https://youtu.be/EOiBj1AiXys — McConaughey mistura frases espirituosas com conselhos surpreendentemente sólidos. “De uma minissérie de oito horas a um anúncio de oito segundos, estamos todos apenas contando histórias”, diz ele. Seu resumo conciso afirma que, para criar um produto ou necessidade, é preciso entender o raciocínio para seu propósito e desenvolver uma história convincente para se conectar com o público. “Você deve acreditar nisso”, afirma ele. “Você vai vender muito melhor e se divertir muito mais vendendo”. Fonte: MediaPost AgencyDaily


Social e-commerce pode ser a bola da vez 

O recente lançamento das Facebook é uma ameaça real à Amazon e ao Google, pois combina comércio eletrônico com a maior plataforma de mídia social do mundo. O momento é perfeito, pois muitos consumidores permanecem em casa durante a pandemia e recorrem a fontes digitais para comprar e manter-se social. A incorporação do comércio eletrônico nas mídias sociais é poderosa, pois permite que os clientes descubram marcas por meio de conteúdo social e encontrem produtos que normalmente não procurariam em uma plataforma de comércio eletrônico. Esse processo de “descoberta através de conteúdo social” é importante para marcas de nicho menores que estão surgindo, mas que podem não ter tantos dólares em publicidade para gastar em uma plataforma de comércio eletrônico. A jornada do cliente pode ser mais longa, mas também há mais tempo para uma marca criar uma experiência de compra única e para o cliente conhecer a marca, criando lealdade a longo prazo. O elemento social das plataformas de mídia social também facilita as marcas criarem campanhas interativas e compartilháveis, que ajudam o lançamento de novos produtos a se tornarem virais. Por exemplo, descontos na compra de grupos, concursos interativos e até jogos online podem fazer parte do processo de descoberta. Fonte: SmartBrief

Os investimentos em mídia tradicional na AL vão desabar, mas o digital aumentará
A América Latina terá o pior desempenho regional em relação a investimentos em mídias tradicionais, declinando 10% coletivamente, embora, estranhamente, também tenha o melhor desempenho para o crescimento de investimentos em mídias digitais — 5,0%. Isso deve-se a uma confluência de fatores: a região possui uma parcela relativamente baixa de gastos com publicidade indo para o digital, portanto um forte crescimento ainda é possível em meio a uma contração importante do setor; a região possui algumas das taxas mais rápidas de adoção da Internet e de dispositivos móveis no mundo; portanto, os anunciantes são motivados a fazer a transição de seus gastos para seguir seus clientes; e, finalmente, as várias crises econômicas e de saúde da região levaram a uma enorme retração nos padrões de gastos tradicionais, dando às marcas a oportunidade de acelerar suas transições para o digital com novos dólares de anúncios não utilizados disponíveis. Dadas as linhas de tendência incomuns da América Latina, não é de surpreender que a região tenha quatro dos mercados com pior desempenho geral em gastos com publicidade (México, Brasil, Argentina e Peru estão entre os 10 primeiros), mas seis dos mercados com melhor desempenho para crescimento de anúncios digitais , incluindo os três primeiros. O Brasil ocupa o terceiro lugar nas duas listas (declinando 10,3% no total, aumentando 5,2% no digital), o que mostra as circunstâncias socioeconômicas profundamente instáveis atuais do maior país da América Latina. Fonte: eMarketer