ONG lança crowdfunding para pesquisa sobre refugiados no Brasil

A Estou Refugiado trabalha desde 2015, já tendo atendido milhares de pessoas em situação de refúgio. Na descrição de sua diretora executiva, Luciana Capobianco, essas pessoas “vieram da Venezuela, do Congo, da Síria e de dezenas de outros países em busca de sobrevivêncialiberdade… e dignidade”. O trabalho da ONG tem obtido muito sucesso, o garantir emprego formal para essas pessoas e também apoiando a criação de  pequenos negócios. 


Mas agora, diz Luciana, está na hora de dar um passo à frente e conhecer mais   sobre as necessidades e as aspirações dessas pessoas assim,  acredita, “o nosso trabalho poderá ser ainda mais útil para eles – e para o Brasil, na medida em que eles tenham oportunidades mais concretas de se mostrarem mais produtivos para a economia do país”. 

Por isso, a ONG está desenvolvendo um projeto de pesquisa. No ano passado, foi realizada a primeira parte, a chamada “quali”, em que se conversa de forma mais profunda com um grupo reduzido de pessoas. Agora, chegou a vez de fazer a “quanti”, ou seja, a parte da pesquisa que ouvirá um número bem maior de refugiados e ganhar o que Luciana chama de “olhar realmente informado sobre a questão”. 

Como a ONG sobrevive basicamente do trabalho de seus voluntários, Luciana resolveu criar um crowdfunding para conseguir realizar a pesquisa. “ temos toda a estrutura desenhada e seus custos orçados”, explicou ela. “Uma parte deles estão sendo absorvidos pela própria ONG Estou Refugiados e seus voluntários. Mas  custos de terceiros que precisarão ser cobertos pela ajuda das pessoas que acreditam em nosso trabalho e estão dispostas a contribuir. “

Assista este vídeo (se não abrir a janela, clique em https://youtu.be/xx2eEdAs7_w):
Para apoiar (inclusive divulgando a iniciativa), visite a página no site Abaca$hi: https://abacashi.com/p/pesquisa-quantitativa-com-refugiados-no-brasil