Compras em grupo são o futuro do e-commerce no Brasil? Ε pesquisa sobre programas de fidelidade

Plataformas prometem cortar intermediários e retirar o valor do frete

O e-commerce alcançou taxas de crescimento exponenciais nos últimos meses. Segundo dados da Mastercard e da Americas Market Intelligence (AMI) indicam que, em 2020, 46% dos brasileiros aumentaram as compras online e 7% compraram na internet pela primeira vez — tudo isso em decorrência do isolamento social. Indo por esse caminho, aplicativos de compras em grupo começaram a ganhar destaque, devido a economia proporcionada.
Nesse cenário, surgem plataformas oferecendo um serviço de compras em grupo que corta intermediários, retira o valor do frete e procura realizar o comércio direto entre o consumidor e o produtor. Este modelo se encaixa perfeitamente na estratégia de proporcionar preços baixos, vender em grande volume e alcançar consumidores com poder aquisitivo restrito”, acredita Luciano Freitas, CMO de uma dessas empresas.
Segundo ele, trata-se de um ecossistema em que todo mundo sai ganhando. O produtor, que vende sua mercadoria diretamente para o cliente sem a presença de atravessador; o comerciante local, que funciona como um ponto de retirada e movimenta o seu comércio; além do usuário, que acaba pagando bem menos pela mercadoria, diminuindo o tempo de entrega e sem ter de desembolsar pelo frete da mercadoria.
Outra estratégia utilizada pelas plataformas para ampliar a base de clientes é tornar a experiência em uma atividade social e divertida. Este fator é impulsionado pelas compras coletivas, já que estimula o usuário a criar e compartilhar os grupos de compras dos produtos com seus amigos e familiares e assim, obter preços melhores.
Pesquisa: 60% dos consumidores concentram compras em lojas com programas de fidelidade
Quando se referem a razão pela qual participam, “economizar dinheiro” é a mais citada por 71% dos usuários
Estudo da Locomotiva Instituto de Pesquisa, revela o sucesso dos programas de fidelidade que concedem descontos para os consumidores. Segundo o estudo, que contou com 1500 entrevistados, 61% dos consumidores costumam concentrar suas compras nesses estabelecimentos e 72% dão, inclusive, dicas a amigos e parentes sobre marcas e empresas que disponibilizam esse tipo de ação.
O estudo buscou mapear e entender mais a fundo a percepção dos brasileiros sobre os programas de fidelidade. Foram entrevistadas 1.500 pessoas em todo o território nacional com diferentes perfis de consumo, incluindo usuários frequentes, que possuem cadastro em três ou mais programas e realizaram resgate nos últimos seis meses, e participantes esporádicos, cadastrados em até dois programas.
Com o estudo, foi possível confirmar que as pessoas estão engajadas na utilização dos programas de fidelidade. Atualmente, 65% dos participantes preferem realizar compras com marcas que oferecem o benefício, Quando se referem a razão pela qual participam, “economizar dinheiro” é a mais citada por 71% dos usuários dos programas. Benefícios intangíveis, como a realização de um sonho, por exemplo, foram menos mencionados, por 23% dos usuários entrevistados.
Uma outra percepção importante apontada pela pesquisa é relacionada à oportunidade que a fidelização oferece sem que os participantes tenham que aumentar seus gastos. Para 51% dos entrevistados, receber vantagens em compras que já fariam de qualquer forma é uma motivação para aproveitar os programas. E a maior parte dos clientes se diz satisfeita com seus programas de fidelidade. O índice de satisfação geral apontado pela pesquisa é de 64%, sendo ainda maior entre aqueles usuários frequentes, 69%. Esse sentimento aparece, inclusive, em relação às recompensas, 78% dos usuários afirmam estarem satisfeitos com o que já resgataram. 
Fonte: TI Inside