Livestreaming commerce: as práticas recomendadas para esse novo formato de venda direta

Young Woman Vlogging Herself About Beauty Products. Woman Making a Video for Her Blog on Cosmetics Using a Tripod Mounted Digital Camera. Young Female Blogger on Camera Screen Holding Cosmetics.
Na China, este ano, o formato já responderá por 37,4% das vendas de social commerce
O livestreaming é uma tendência que ganhou mais relevância durante a pandemia. Nos últimos meses, quase todas as principais redes sociais expandiram seus serviços e introduziram novas oportunidades de transmissão ao vivo, muitas das quais destinadas a impulsionar o comércio nas plataformas.
O entusiasmo das redes por compras começou na China, onde as compras ao vivo já são um grande negócio para as marcas. De acordo com as estimativas, as vendas do social commerce ao vivo na China chegarão a US$ 131,52 bilhões em 2021 e serão responsáveis por 37,4% das vendas totais do social commerce no país.
Nos Estados Unidos, a compra de produtos promovidos via livestreams ainda está em seus primeiros dias. Em uma pesquisa de abril de 2021 da The Harris Poll, por exemplo, 38% dos adultos norte-americanos disseram ter assistido a uma transmissão ao vivo de alguém falando sobre um produto que eles poderiam querer comprar, mas apenas 7% disseram que acabaram comprando o produto com base na recomendação do apresentador.
Mas o interesse está aumentando, e a transmissão ao vivo deve ser um grande impulsionador do crescimento do comércio social à medida que as capacidades se expandem e melhoram.
Para os profissionais de marketing que estão prontos para mergulhar nas águas da transmissão ao vivo, veja como incorporar a prática às estratégias de comércio social hoje:
1. Comece pequeno – O comércio de transmissão ao vivo na China levou anos para atingir o nível que está hoje.
2. Organize o conteúdo. Uma boa curadoria não significa necessariamente que precise de uma produção cara; as transmissões ao vivo com maior probabilidade de ressoar com o público são aquelas pessoais, interativas e que parecem autênticas.
3. Escolha o host com sabedoria. Os influenciadores são uma escolha óbvia, mas as marcas podem atrair funcionários, equipes de vendas e até mesmo clientes fiéis — todos os que conhecem os produtos por dentro e por fora — para suas sessões de transmissão ao vivo.
4. Não limite as transmissões ao vivo às plataformas de mídia social. Como na China, plataformas de games também fornecem às marcas plataformas de transmissão ao vivo, e os varejistas também podem configurar seus próprios canais de transmissão ao vivo. Mas há dois benefícios principais em usar as ferramentas de uma plataforma social para fazer transmissões ao vivo: a infraestrutura já está instalada e seu público já está lá.
Fonte: eMarketer