vendas de Natal podem cair com a crise

(Artigo do Luiz Alberto Marinho, publicado hoje no Blue bus)

Por causa da crise financeira, as vendas do varejo americano no final de 2008 devem ser as piores dos últimos 17 anos. A retraçao por lá é pelo menos democrática, nao é? – atinge tanto as marcas de luxo quanto as redes populares, passando ainda mais pelas lojas de departamento.

Você deve estar se perguntando – e no Brasil, o que pode acontecer? Bem, os consumidores que dependem de financiamento de longo prazo para adquirir bens duráveis, provavelmente terao mais dificuldades para realizar seus sonhos de consumo nesse Natal. Além dos juros estarem mais caros, os prazos encurtaram. Os automóveis, por exemplo, que chegaram a ser parcelados em até 70 prestaçoes, hoje precisam ser quitados em 48 meses, no máximo. Além disso, os consumidores precisam também dar uma entrada que pode variar de 10 a 30% do preço total. Algo parecido ocorre nas lojas de móveis e eletrodomésticos.

A alta do dólar também pode atrapalhar os planos de alguns brasileiros. Produtos importados ou que contenham componentes importados chegarao às prateleiras por preços mais salgados. Isso inclui brinquedos, eletrônicos, itens de informática e alimentos, entre outros. O mais curioso é que até o mês passado os brasileiros ainda estavam otimistas com o futuro – o índice de Confiança do Consumidor medido pelo Ipsos bateu 140 pontos, bem mais do que os 126 pontos de setembro de 2007. E como todo mundo sabe, consumidor confiante compra mais. Infelizmente, porém, esse índice deve cair agora em outubro – em funçao das más notícias que vem do mercado financeiro. Se isso de fato acontecer, será um obstáculo a mais a ser enfrentado pelos comerciantes nacionais.