A importância dos líderes estratégicos

0
14



Autor: Alexandre Prates

 

A empresa é diferente, mas geralmente ouço a mesma frase ao iniciar um processo de coaching executivo: “Alexandre, preciso de líderes mais estratégicos e menos operacionais!”. Essa tem sido uma das minhas grandes missões nas organizações e aprendi, na prática, que a solução é mais simples do que parece. Simples, mas não fácil.

 

Assim como as empresas querem líderes mais estratégicos, os líderes por sua vez, querem uma equipe que focalize mais soluções ao invés de problemas. Portanto, é preciso que o líder ensine sua equipe a resolver esses problemas, e o coaching pode ser uma excelente ferramenta para mudar o foco da sua equipe e tornar menos tortuosa a forma de se encarar esses acontecimentos.

 

Quando converso com líderes sobre esse tema, muitos me dizem: “Alexandre, eu sei resolver problemas, faço isso todos os dias e nunca precisei de metodologia para isso!”. A minha resposta é: “Você pode ter a sua metodologia, mas você sabe ensiná-la para as pessoas?” É isso que estou propondo aqui, uma metodologia que pode ser ensinada para os seus colaboradores. Não tenho a pretensão de ensinar os líderes a resolverem problemas, e sim, que o líder os resolva com o seu time, desenvolvendo uma equipe estratégica.

 

Invista parte do seu tempo resolvendo problemas com as pessoas e logo não precisarão de você para resolvê-los. Este é o caminho para tornar-se um líder mais estratégico!

 

Para isso, vamos aprender alguns ensinamentos lógicos e simples:

 

1. “Nenhum problema pode ser resolvido pelo mesmo estado de consciência que o criou.” (Albert Einstein):
Fato: nós nunca resolveremos um problema pensando nele, e sim, focando em sua solução. Portanto, a primeira etapa para se resolver um problema é perguntar: “o que nós queremos ao invés disso?” Isso remeterá a sua equipe a pensar no que realmente importa, a solução.

 

2. Nenhum problema é tão grande que não pode ser resolvido em pequenas partes gerenciáveis:
Estamos acostumados a enxergar o problema como ele se apresenta. Logo, o “monstro” parece muito maior do que realmente é. Mais uma vez, não foque no problema, busque identificar suas causas e as soluções desejadas para cada uma delas. Pergunte: “o que está gerando este problema?”.

 

3. Não procure os culpados e sim quem pode resolver:
Procurar os culpados no momento de se resolver um problema é gerar um estado emocional inapropriado, criando assim um novo problema. Delegue as soluções para quem puder ajudar, resolva o problema e posteriormente corrija as arestas. Não deixe de conversar com os responsáveis, mas faça isso na hora certa.

 

4. Compartilhe a resolução do problema:
Dessa forma, você desenvolve o seu time e permite que as pessoas aprendam, cresçam e repitam o comportamento positivo sempre que necessário.

 

5. Certifique-se de que o problema foi solucionado:
Essa é uma das lições do coaching que me encanta. Um problema só pode ser considerado resolvido, se pudermos garantir que não acontecerá novamente. Acompanhe a resolução do problema e crie evidências para essa resolução.

 

Resumindo, para resolver um problema bastam cinco questionamentos que você, líder, deve ensinar para o seu time:
1. Qual é o problema?
2. Qual é a solução que desejamos?
3. Quais são as causas? Como podemos solucioná-las?
4. Quem é o responsável por cada etapa?
5. Como podemos garantir que o mesmo não ocorrerá novamente?

 

Agora, desejo que você torne-se um líder cada vez mais estratégico!

 

Alexandre Prates é especialista em liderança, desenvolvimento humano e performance organizacional.