ABT amplia código de ética

0
1

A Associação Brasileira de Telemarketing (ABT) lança os “Princípios de Conduta e Ética para Telemarketing”, que amplia o código de ética da entidade (revisado pela última vez em 1996) e dá novas recomendações às empresas de call center para garantir o respeito ao consumidor e à sua privacidade. O novo texto exige a aplicação do marketing de permissão: o operador de telemarketing ativo deve perguntar, a cada chamada telefônica, se o consumidor quer e pode atendê-lo naquele momento.

O Código também pede que os operadores alertem, durante as vendas, se os produtos podem causar algum risco à saúde ou segurança do comprador. A ABT reforça a importância de que as empresas não façam chamadas aleatórias, e sim selecionem o banco de dados para cada oferta. Outra novidade é a maior exigência de infra-estrutura nas empresas de call center. Elas devem ter a capacidade para atender à demanda estimulada, além de equipamentos que obedeçam à NR 17 do Ministério do Trabalho, para garantir o bom ambiente de trabalho aos operadores. Por fim, o novo código regula o uso da internet no call center. O trabalho de revisão da lista de princípios começou no ano passado. “Essa é a melhor forma de identificar quem atua ou não com seriedade no setor”, diz o presidente da ABT, Pedro Renato Eckersdorff.