Amizade como arma de retenção

0
9
Só pelo fato de passarmos grande parte do nosso tempo dentro do ambiente de trabalho, já se pode dizer o quanto as relações interpessoais são importantes. Esse fato torna-se ainda mais evidente quando se fala de empresas de contact center, cuja premissa básica é fazer a gestão de relacionamento, segundo Luciana Zabot, superintendente de RH da Flex Contact Center. “O relacionamento interpessoal gera um ambiente agradável, o sentimento de ajuda mútua, a meta deixa de ser individual e passa a ser da equipe – e assim todos cooperam para que todos ganhem. Isso sem falar nas trocas de experiências e nas dicas que um profissional passa para o outro.”
Tamanha importância se reflete na própria opinião dos colaboradores. Em pesquisas realizadas pela Flex com os seus profissionais, o quesito “ambiente de trabalho – relações com colegas e chefias” está sempre entre os principais motivos que os mantêm na empresa e os levam/levariam a indicá-la para seus amigos trabalharem, mostrando a importância dessa questão para a nossa empresa.
A vantagem disso é que as lideranças trabalham com metas e campanhas por equipes, gerando uma alavancagem na produtividade especialmente naquelas cujos relacionamentos são mais sólidos. Em tais equipes, o absenteísmo é menor visto que, pela relação que se estabelece, as pessoas sentem-se desconfortáveis em faltar e deixar os demais colegas na mão. Além disso, dicas sobre técnicas de vendas, melhor forma de abordar/atender o cliente, compartilhar escolhas e alternativas, são mais facilmente trocadas quando a relação de amizade sobrepõe-se à competitividade.
Esse clima na Flex é resultado de uma série de programas que visam o alinhamento de conduta e promovem a aproximação das pessoas como Programa de Desenvolvimento de Líderes, Geração de Talentos, Fóruns de Teleatendente e de Supervisores, Campanhas de Viagens, Dinâmicas de Grupo com as equipes e momento formal de troca de experiências com o Gerente da Operação. “Com estas atividades incentivamos a troca de conhecimento, o aprimoramento das relações e, quando algo está caminhando para o conflito, rapidamente conseguimos identificar e trabalhar para que a relação seja restabelecida”, explica. Ela reforça ainda que, quando se trabalha em uma empresa que possui como parte da missão “Construir Relacionamentos” e valores como “Felicidade e Respeito”, este fato torna-se facilitado. “As pessoas costumam dizer que sentem nos corredores da Flex o clima positivo advindo da boa relação entre as pessoas.”
NOVAS GERAÇÕES
Na opinião de Luciana, considerando que a grande maioria dos trabalhadores do setor são da geração Y e agora Z, não tem como não trabalhar as relações interpessoais. Pesquisas com essas gerações, especialmente com a Y, evidenciam que para elas as relações interpessoais muitas vezes são mais importantes que o próprio salário. “Aprenderam a viver em rede (Facebook, Twitter, Instagram, Youtube) e as empresas que souberem canalizar estas relações interpessoais para seus objetivos e metas serão as que se destacarão no mercado, pensando especialmente na atração e retenção de pessoas. Precisamos estar atentos a isto e muitos dos Programas hoje existentes na Flex já contemplam esta prerrogativa”, finaliza.