Ascential transfere suas atividades para empresas parceiras

0
2

A Ascential Software Corporation, empresa de tecnologia de integração de dados, transfere suas atividades de serviços na América Latina para um grupo de 15 parceiros locais, cobrindo toda a região. A operação que vinha sendo planejada há um ano, faz parte das medidas administrativas voltadas para a realização da break-even (equilíbrio financeiro) prometido pela empresa para o próximo trimestre deste ano.


Segundo Luiz Cláudio Menezes, vice-presidente da Ascential para a América Latina, o objetivo da transferência é sintonizar o modelo de atendimento para a região aos moldes do já praticado com sucesso em países da Europa e Ásia.


Fundada há dois anos, a partir de um desmembramento da Informix (que foi absorvida pela IBM), a Ascential Software Brasil vinha realizando um intenso trabalho de qualificação e fidelização de parceiros no País e, obteve, um expressivo crescimento de vendas que posicionou o Brasil como dententor de 70% dos negócios na região. Desde janeiro o executivo Luiz Cláudio Menezes iniciou a disseminação desta política na América Latina, com a constituição de um canal de atendimento baseado em parceiros locais.

Com o novo modelo, o atual vice-presidente passa a funcionar como um representante direto da matriz norte-americana e assume o posto de diretor de desenvolvimento de negócios para a América Latina, contando com uma equipe de vendas e pré-vendas no Brasil e no México. “A julgar pela boa resposta que o modelo já vem obtendo, nossa expectativa é de, em dois anos, ampliar em até  40% as vendas no Brasil e em 50% a média de vendas na região”, conclui Menezes.


Ao transferir para os integradores e consultorias locais as atividades de vendas, implementação e suporte, a Ascential Software terá a responsabilidade de garantia de qualidade desses serviços e anuncia a manutenção de um help-desk em português operado diretamente por seus laboratórios norte-americanos. Com isso, assinala Menezes, a empresa garante uma transição tranqüila para o novo modelo de atendimento e se torna apta a acompanhar o rápido crescimento da base instalada de suas soluções de integração de dados.

De acordo com Menezes, o resultado na região também superou em 20% as expectativas para o trimestre, mesmo com o baixíssimo nível de atividades da Argentina. “A queda de vendas da Argentina, foi compensada pelo avanço do Brasil, cujas receitas totais ficaram 40% acima do esperado”, afirma o executivo.

Outro indicador positivo para a Ascential, foram as vendas em licenças. Ao longo do segundo trimestre, essas vendas atingiram os US$15,1 milhões (incluindo-se aí as licenças para produtos adquiridos junto com a aquisição da Vality), o que representou um avanço de 41%.