Atento debate recuperação de crédito

0
11


Um grupo de 40 executivos das áreas de cobrança de diversas instituições financeiras e varejistas do país se reúnem, nesta quinta-feira, dia 9 de novembro, no restaurante A Figueira Rubayat, para debater novas modalidades e tendências para os serviços de recuperação de crédito. O encontro será promovido pela Atento Brasil.

Ricardo Loureiro, diretor de produtos da Serasa, será um dos participantes. O executivo apresentará o conceito de cadastro positivo para análise de crédito, já adotado em países da Europa e nos EUA, que se propõe a fornecer um banco de dados com o histórico de créditos e pagamentos dos consumidores e poderá contribuir para a redução dos juros cobrados dos consumidores, favorecendo os bons pagadores.

Os convidados serão recepcionados por Marcelo Alves e Régis Noronha, respectivamente vice-presidente de clientes e diretor de desenvolvimento de negócios da empresa.

Recuperação de crédito em crescimento – A recuperação de crédito é filão em franco crescimento nas empresas de contact center, um novo negócio que acompanha o crescimento do volume de crédito ao consumidor – que até o final do ano, deve somar R$ 200 bilhões, ou cerca de 30% mais que dezembro de 2005, segundo dados da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade).

Em estudo recente divulgado pela Serasa, a inadimplência dos consumidores teve um aumento de 3,2% no Brasil em setembro ante o mesmo mês do ano passado. No acumulado de janeiro a setembro deste ano, o indicador da Serasa acumulou alta de 13% sobre os primeiros nove meses do ano passado, e as dívidas que mais pesaram foram as de cartões de crédito e financeiras.

Esses índices têm refletido nos negócios de cobrança da Atento Brasil. Se em janeiro a empresa contava com dois mil funcionários para realizar o serviço de cobrança, até dezembro serão 3.700 atendentes – ou 1870 PAs (posições de atendimento) – renegociando dívidas com inadimplentes. Até o final do ano, a expectativa é que o serviço de recuperação de crédito a terceiros responda por 8,9% do faturamento total da empresa, que foi de R$ 988,4 milhões em 2005.