Brasil está entre os 10 países mais atraentes para call centers

0
3

De acordo com nota publicada na BBC Brasil, a consultoria A.T. Kearney fez levantamento e o Brasil está em 7º lugar entre os países mais atraentes para a instalação de centros de atendimento e prestação de serviços de empresas internacionais à distância, no sistema chamado de business process outsourcing.

No ano passado, 700 pessoas trabalhavam em call centers no país e a consultoria prevê que até o fim de 2004 esse número subirá para 5 mil. O relatório da consultoria divulgado, nesta quarta-feira, mostra que o País está na mais alta posição entre os países da América Latina em termos de pessoas capacitadas e de disponibilidade. Mas o estudo alerta que será difícil para o Brasil subir na classificação, a não ser que melhore o nível geral de educação e sua habilidade para línguas.

A consultoria diz que os pontos fortes do Brasil são custos vantajosos e uma grande força de trabalho com relativamente boa experiência em prestação de serviços à distância. O estudo ainda aponta a possibilidade de que com a crescente sofisticação da indústria local de software e do setor de informação e tecnologia o país atraia novos negócios.

Em todo o mundo, o país mais atraente é a Índia, seguida de China, Malásia, República Tcheca, Cingapura e Filipinas. O Canadá está na 8ª posição, seguido de Chile e Polônia, entre os dez melhores colocados.

O mercado de instalação de centros de atendimento e prestação de serviços à distância está avaliado em US$ 300 milhões e pode chegar a US$ 500 milhões em 2007. Cerca de 6 milhões de empregos, especialmente no setor de alta tecnologia, devem ser transferidos dos Estados Unidos e da Europa para países mais atraentes nessa área.

Segundo a A. T. Kearney, os dirigentes de empresas citam maior produtividade, melhora nos serviços e maiores habilidades técnicas, além dos custos de mão-de-obra, como as principais razões para a instalação de centros de atendimento e prestação de serviços à distância.