Candidatos são alvo de picaretas

0
4


Os sites especializados em recrutamento, recebem por dia milhares de cadastros de candidatos em busca de recolocação profissional, pois o recrutamento on-line hoje é uma realidade. Inicialmente havia um descrédito por sites de emprego, mas com o crescimento de empresas que apostaram nesse método e disponibilizam as vagas em sites com esta finalidade, os profissionais perceberam o aumento da oferta e atualmente fazem da Internet a principal ferramentas para auxiliar no retorno ao mercado de trabalho. No entanto, existem muitas empresas ilícitas que fazem propagandas enganosas e falsas promessas, agindo de má fé com aqueles que estão desempregados.

Empresas “picaretas” de recolocação profissional oferecem uma vaga exatamente com o perfil do candidato, como se a chance caísse do céu, só que para concorrer precisam pagar um valor, normalmente alto para quem não tem emprego, que corresponde a aplicação de testes e realização de serviços de RH, como se o pagamento fosse a garantia para agarrar a oportunidade, só que a vaga, muitas vezes, não existe . Com a exposição de currículos na Internet há possibilidade de situações como estas acontecerem, mas o profissional deve estar atento para escapar dessas armadilhas.

Quando consultorias de Recursos Humanos tentam extorquir dinheiro por serviços oferecidos, passando a certeza que o candidato será indicado ou conseguirá a vaga em questão, duvide, “Isto é antiético e errado. As consultorias que são contratadas por empresas para realizar o processo de seleção, são pagas pela empresa contratante. Mas, ´picaretagem´ existe e muitas consultorias cobram de candidatos para serem indicados a determinada vaga”, explica Marcelo Abrileri, presidente da Curriculum.com.br.

De acordo com o executivo, existe o outro lado da moeda, pois é lícito que consultorias honestas ofereçam serviços de forma clara e cobrem, por exemplo, por análise de currículos, dicas para deixá-lo mais atraente às empresas, orientação sobre como se comportar em uma entrevista de emprego, ou ainda, fazem simulação de entrevista com o candidato, informando os erros e acertos e pontos a serem melhorados. Mas, nesses casos não existe a falsa promessa de garantia de emprego. Este é um dos muitos caminhos utilizados por um profissional, por vontade própria, para aprender a expor suas potencialidades. Afinal, a tática pode auxiliá-lo na busca de uma nova oportunidade no mercado.

“Uma consultoria contratada por uma empresa para fazer o R&S, não pode cobrar do candidato para participar de processos seletivos. Somente a empresa, cliente da consultoria, a contratante do serviço, é quem paga! No entanto, um candidato em busca de orientação pode pagar uma consultoria para aprimorar seu processo de recolocação. Ele paga para melhorar seu currículo e a si mesmo, como profissional, na busca de emprego. A linha é tênue, mas é muito importante distinguir corretamente o certo do errado, de modo que o candidato não entre numa fria nem deixe de ser competitivo”, alerta Marcelo.