Competência na comunicação empresarial

0
11



Autora: Márcia Karelisky

 

Hoje em dia é dada muita importância ao “falar” bem. Porém, antigamente a condição era diferente, trabalhava-se de maneira isolada, as salas eram privadas. Hoje temos ambientes de trabalho abertos e profissionais atuando de maneira integrada. Para que as equipes estejam em harmonia é preciso uma comunicação eficaz quer seja face a face, pelo telefone ou via e-mail.

 

O profissional pensava apenas em ter uma excelente formação técnica. Hoje ele percebe que se não souber transmitir todo este conhecimento com competência comunicativa o sucesso profissional é limitado. Prova disto é a seleção de candidatos a uma vaga de emprego, que valoriza as habilidades de comunicação ao observar como o candidato se comunica, com relação ao seu estilo de comunicação (amigável, analítico, expressivo e controlador) e a interação com seus pares.

 

Deve-se, então, compreender o que é comunicar-se bem e saber comunicar-se. Segundo o “Aurélio”, comunicação é “participação, informação, aviso, transmissão e convivência”. Na prática, comunicar não é apenas o que eu falo e sim a forma como eu falo e como isso chega até o interlocutor. Portanto, a comunicação só é eficaz se houver uma modificação no outro. Para isso, o canal de transmissão da mensagem entre o falante e o ouvinte deve estar aberto.

 

Para se comunicar bem todo mundo acha que deve usar palavras difíceis, termos técnicos, enfim, ter uma linguagem sofisticada. Na realidade, o ideal é ser um bom ouvinte, organizar seu discurso de forma clara e objetiva, ter um bom conhecimento do assunto, usar o tom de voz adequado, ter uma dicção precisa dos sons da fala e saber se comunicar com pessoas de diferentes hierarquias.

 

Existem pessoas que já nascem como bons comunicadores, mas a grande maioria necessita de treinamento específico. Hoje há muitos cursos de graduação e de pós-graduação que investem nesta área para preparar melhor os profissionais (MBAS). As empresas cada vez mais buscam treinamentos para seus colaboradores, pois observam que o investimento em comunicação valoriza o profissional, melhora o relacionamento interno e com o cliente, aumentando sua produtividade. Tudo isto proporciona melhora na qualidade de vida do funcionário e aumento da lucratividade da empresa.

 

Na minha experiência como consultora em comunicação humana, vejo interesse de empresas de todos os segmentos: financeiro, farmacêutico, de informática, alimentício, acadêmico, etc. que dispõem de call e contact centers, equipes de vendas e colaboradores em geral que usam a comunicação como principal instrumento de trabalho.

 

Contudo, presencia-se regularmente falhas na comunicação. Uma pesquisa realizada pela Harvard Business School constatou que 70% dos problemas que acontecem nas empresas estão ligados direta ou indiretamente a falhas na comunicação. A capacidade de trocar informações de forma eficaz permeia todas as atividades corporativas, como gestão, planejamento, vendas, marketing e desenvolvimento de equipes.

 

Márcia Karelisky é fonoaudióloga e diretora da Comunicato.