Competência para prosperar

0
2



Autor: Evaldo Costa

 

Há nas organizações muitos tipos de líderes, mas dois grupos são mais conhecidos: os que concentram em si todas as informações e os que repassam o conhecimento. Segregar informações por crer que quanto mais conteúdo reter mais poderoso o profissional se tornará pode até funcionar por algum tempo, mas logo a mascará cairá, ele ficará vulnerável, perderá credibilidade e o poder tão desejado. No jargão popular é o equivalente a dizer que quem age assim está cavando a sua própria sepultura.

 

O segundo tipo de líder, que dissemina a informação, é o que naturalmente conquista a admiração e o respeito dos seguidores. Ele sabe que precisa desenvolver o seu próprio know-how e, também, o de seus liderados. Afinal de contas, ele reconhece que a competência é o somatório do conhecimento técnico e da habilidade interpessoal. Um verdadeiro líder deve conhecer bem a si próprio e os seus limites.

 

O dirigente vencedor sabe que o conhecimento precisa ser exercitado para ser renovado. Ele sabe que quanto mais o conhecimento é exercitado mais ele será multiplicado, afinal de contas, ele é perecível. Se alguém o detiver por algum tempo perderá o seu valor e logo surgirá uma informação mais valiosa que o suplantará. Além do mais, é bom lembrar que a informação só é poder se usada de forma direcionada e inteligente. Também, nunca é demais salientar, que na gestão do conhecimento e na geração da internet, há grande variedade de conteúdo disponível para quem estiver disposto a pesquisar.

 

O fato é que o verdadeiro líder é reconhecido não pelo número de subordinados, mas sim pelo número de pessoas que ajuda a formar. Portanto, se alguém aí é candidato a líder é bom saber que precisa estar preparado para doar-se e formar seguidores bem preparados e dispostos a se empenhar por uma boa causa. Do contrário, não terá boas recordações para contar aos netos.

 

Para o magnífico escritor James C. Hunter em seu memorável livro “O Monge e o Executivo”, o líder deve procurar servir aos seus liderados, compartilhando seus problemas, indicando o caminho e fazendo-os sentir-se bem. James Hunter evidencia, também, que o paradigma empresarial está mudando e, com ele, a atuação dos comandantes também. Segundo afirma, o líder deve estar atento ao comportamento humano e, para isso, recomenda atenção especial às diferenças conceituais entre liderança, poder e autoridade, que diz ter os seguintes significados: “Liderança: É a habilidade de influenciar pessoas para trabalharem entusiasticamente visando atingir aos objetivos identificados como sendo para o bem comum. Poder: É a faculdade de forçar ou coagir alguém a fazer sua vontade, por causa de sua posição ou força, mesmo que a pessoa preferisse não o fazer, enquanto que a autoridade é a habilidade de levar as pessoas a fazerem de boa vontade o que você quer por causa de sua influência pessoal.

 

Evaldo Costa é escritor, consultor, conferencista e professor. ([email protected])

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTecBan desce o litoral
Próximo artigoVamos bater bumbo