Construindo equipes de alta performance

0
2
Autor: Claiton Fernandez
Quando penso em equipes de alta performance, lembro da época em que fui contratado como CEO por um grupo econômico líder em seu segmento de mercado, onde uma de suas unidades apresentava queda de faturamento em razão da perda de clientes há mais de ano. Ao diagnosticar que os gestores de área trabalhavam de forma isolada, o passo seguinte foi verificar que era necessário transformar o grupo de gestores numa equipe, fazendo com que trabalhassem com foco comum.
Com a inserção do coaching individual e coletivo, e implantação de programas de desenvolvimento técnico e comportamental que abordam temas como estratégia, gestão de mudanças, planejamento e gestão do tempo, foi estabelecida uma meta para ser atingida nos próximos 12 meses: voltar ao mesmo número de clientes que a unidade tinha há um ano. Para alcançar este desafio, era necessário que se tornassem uma equipe de alta performance.
Quando analisamos mais detalhadamente as equipes de alta performance, encontramos algumas características fundamentais:
– Objetivo claro: todos os integrantes da equipe precisam saber qual é o objetivo a ser alcançado e estar engajados com o mesmo. Na ocasião, me recordo de um dia ter entrado na sala dos gestores e me deparado com um apontamento na lousa branca, escrito “31/12”, data definida para atingir a meta. Naquele momento soube que todos estavam comprometidos e caminhavam para a formação de uma equipe de alta performance.
– Empowerment: permitir que as pessoas compartilhem seus conhecimentos, experiências e decisões com toda a equipe. Para isso, foram criados encontros mensais, conduzidos sempre por um dos integrantes da equipe que apresentava os resultados da sua área de negócio, agregando valor a todos através do aprendizado.
– Diversidade: uma equipe de alta performance é formada por pessoas que apresentam diferentes competências e habilidades, complementando-se com o potencial de cada um. Naquela época, em todas as áreas havia diversas tarefas a serem executadas pelos gestores, como o exercício da liderança e de uma efetiva gestão de pessoas, o relacionamento com clientes, o desenvolvimento e a organização de eventos de divulgação, entre outros. Dessa forma, mesmo com a presença de diferentes talentos, pudemos contar com todos na realização das tarefas.
– Relacionamento e feedback: as pessoas têm crenças e valores diferentes e, consequentemente, comportamentos e atitudes diferentes. Numa equipe de alta performance, as pessoas devem aprender a respeitar a visão de mundo do outro e buscar criar relações de confiança. É essencial empregar o feedback como uma ferramenta que possa acabar com os ruídos da comunicação e ajudar o outro a se desenvolver cada vez mais.
– Interdependência: entender que ninguém joga sozinho. No momento em que um lado está mais fraco, o outro fará mais força, para que juntos possam chegar ao objetivo comum. Foi o que aconteceu na unidade de negócio, cada área tinha a sua meta mensal a ser alcançada, o que na somatória fez com que todos atingissem a meta global.
Como se vê, o gestor líder é o responsável em permitir que essas características sejam desenvolvidas dentro de sua equipe, para que ela deixe de ser apenas um grupo de pessoas e passe a ser uma equipe de alta performance com um objetivo em comum.
Claiton Fernandez é palestrante, consultor e educador. Autor dos livros “Caminhos de um Vencedor” e “Da Costela de Adão à Administradora Eficaz”.