Crenças obsoletas de RH

0
5



O diretor executivo da Leme Consultoria, Rogerio Leme, proferiu palestra no anfiteatro do Colégio Singular, em Santo André, para profissionais de RH a convite da Inted (Intercâmbio em Treinamento e Desenvolvimento). Leme falou sobre as crenças obsoletas que ainda resistem nos departamentos de RH e como é possível quebrar esses antigos paradigmas.

 

O palestrante citou alguns erros mais comuns que envolvem o profissional de RH, quando se fala em treinamento. Entre eles que o colaborador, se tiver um problema, basta encaminhá-lo para um treinamento que será resolvido. Outro é que todo colaborador sabe o que se espera dele. E também que ao participar de um treinamento, o colaborador incorpora ao seu rol de competências todo o conteúdo proposto e torna-se autosuficiente.

 

Para Rogerio Leme, os profissionais de RH precisam mudar a maneira de pensar, incorporando novos paradigmas. “O treinamento, em si, não resolve”, afirma, explicando que como o comportamento das pessoas é repetitivo, o procedimento mais comum é o colaborador repetir no futuro o comportamento do passado.

 

“Se não criarmos uma sistemática para evitar a repetição continuada, o problema vai persistir, independente de um treinamento, realizado pontualmente”, afirmou. Segundo o diretor executivo da Leme Consultoria, o treinamento, que tem “tiro curto”, não resolve. Trata-se de ação isolada. “O que muda as pessoas é o feedback, a educação continuada”, sugere.

 

Rogerio Leme falou também sobre a origem das necessidades do treinamento, mensuração de resultados e benefícios advindos do treinamento. Para o consultor, “o RH tem de identificar a necessidade de treinamento de uma maneira precisa e não limitar-se a oferecer um menu”.