Depressão no ambiente corporativo

0
6
Baixo-astral, perda de interesse, dificuldade em planejar e se concentrar nas atividades diárias, esquecimento, problemas para dormir e choro sem razão são acontecimentos que muitas vezes ocorrem no cotidiano das pessoas, principalmente quando têm que desempenhar muitas tarefas no trabalho. De acordo com estudo realizado pelo Instituto Ipsos MORI, 50% dos profissionais que têm depressão possuem pelo menos duas dessas sensações. O CEO do Grupo Kronberg, Carlos Aldan, explica que o equilíbrio das sensações no dia a dia pode prevenir esse tipo de doença e tornar as pessoas mais felizes na vida profissional e pessoal. “Entender as emoções, pensar positivamente, trabalhar a empatia e encontrar uma meta de vida são as dicas que auxiliam no aumento da felicidade”, diz Aldan.
Saber discernir os sentimentos ajudará a lidar com sensações que poderiam prejudicar a vida em alguns momentos. “Quando uma pessoa tem um comportamento ríspido, aprende que não se deve descontar os problemas nos outros e que isso não sanará a situação. No momento em que se cria um recurso estratégico para melhorar a forma de lidar com determinadas emoções, a pessoa começa a conciliar essas atitudes com o conhecimento e reagirá de forma assertiva” explica o CEO.
Otimismo, investimento em empatia e estabelecimento de uma meta nobre de vida são outros segredos para alcançar a plenitude. Para Aldan, o pessimismo limita o ser humano da realização de grandes feitos, o impede de subir na vida e desenvolver-se como pessoa e profissional. Por esse motivo, o otimismo deve estar sempre presente no cotidiano. A empatia também é essencial, pois auxilia a entender melhor o próximo, ao se colocar em seu lugar. Já a meta nobre de vida tem o papel de conexão do ser humano com um propósito maior, ou seja, o motivo pelo qual se acorda todos os dias e que ajuda a superar os desafios.