Direct Talk cresce 125% em 2003

0
2

Direct Talk, desenvolvedora de soluções para contact centers, registra em 2003 uma realidade diferente da vivida pela maior parte do cenário brasileiro e cresce 125% em relação a 2002. Os resultados alcançados pela Direct Talk são confirmados por números.

Em 2003 ela obteve 43% de crescimento da base de clientes, foram 30 novos clientes em 2003, conseguiu elevar o “Ticket Médio” dos projetos desenvolvidos em 62% e fechou o ano com uma margem líquida de 18%. Tais resultados são reflexo, segundo afirma Diego Lopes, gerente de marketing da companhia – do alinhamento estratégico ao qual a equipe foi submetida e também ao forte investimento no relacionamento com seus clientes.

“Em 2003 adotamos internamente o Balanced ScoreCard e com isso alinhamos toda a empresa. Definimos junto a cada equipe metas e processos, de forma que todas elas estivessem atreladas aos objetivos gerais da empresa. A eficácia dessa estratégia traduziu-se em números muito positivos”, comemora Lopes.

Atrelado a isso, a Direct Talk investiu fortemente no relacionamento com os clientes. Giovanni Cervieri, diretor da Equipe de Clientes, lembra que o grande desafio, traçado no início do ano, era elevar sensivelmente o “Ticket Médio” dos Projetos. O que garantiu o sucesso dessa meta foi o posicionamento próximo que a Direct Talk já adotava e que se fortificou ao longo do ano junto a seus clientes, detectando assim oportunidades de negócios.

Os resultados, além de terem atingido as metas, ainda superaram as expectativas. Clientes antigamente considerados “críticos” hoje são os responsáveis pelos maiores projetos da companhia.

“Para atingir nossos objetivos, focamos nossas ações em uma campanha de imersão nos clientes chave . Ampliamos os projetos e os resultados alcançados foram significativos. A nossa expectativa agora é repetir isso em 2004. Traçamos metas bastante audaciosas e desde já planejamos a segunda imersão” , adianta Giovanni.

Seguindo a mesma estratégia, a empresa traça metas ambiciosas para 2004: crescer 55% a receita em relação ao ano passado e obter uma margem líquida de 22%.

“O grande foco desse ano é desenvolver novas soluções, atendendo às sugestões e as necessidades que os nossos clientes nos mostram. Além disso, manteremos a mesma estratégia de 2003: alinhamento e qualificação das equipes somado ao forte comprometimento com os clientes”, finaliza Diego Lopes.