Empresas investem mais em treinamentos

0
1



Um levantamento da Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD) referente a 2006 revelou que as empresas brasileiras são as que mais investem em treinamentos para funcionários. Os empresários disseram que gastam R$ 1.342 a cada ano por funcionário treinado e que 71% deles pretendem ampliar esse valor em 2007.


O resultado mostrou ainda que os brasileiros passam, em média, 47 horas anuais em cursos, ou seja, cerca de 5,8 dias da jornada de trabalho anual em atividades de desenvolvimento, considerando uma carga horária de oito horas diárias. Conforme pesquisa da ASTD (braço internacional da ABTD), esse índice é bem menor em outros países. Nos Estados Unidos, os funcionários passam 30 horas anuais em treinamento; na Europa, 36 horas; Ásia, 30 horas; Austrália, 34 horas, e América Latina, 31 horas.


Segundo a palestrante, facilitadora de cursos em empresas e consultora organizacional, Sonia Jordão, esse cenário se deve principalmente ao fato de que cada dia mais os profissionais precisarem melhorar a capacitação e ainda estarem motivados. Isso em função do mercado ser hiper-competitivo tanto para as empresas quanto para os profissionais. Cada dia mais as empresas precisam de pessoas habilitadas e com competências específicas.


A w3net, com sede em Belo Horizonte e especializada em soluções de TI para recursos humanos, é um exemplo de empresa que aposta em permanente treinamento de seus colaboradores. Do total de 55 funcionários, mais de 40% já passaram por algum tipo de treinamento e com objetivos diferenciados. A diretora de mercado da W3net, Cibele Silveira, explica que tanto investem em programas de treinamento que selecionam para a equipe, quanto em cursos solicitados pelos próprios funcionários. “Esse custo retorna para a empresa em melhor capacitação, desempenho, produtividade e também em alta estima. Afinal, o colaborador se compromete cada vez mais quando é valorizado e estimulado a crescer profissionalmente”, afirma.


Sonia Jordão afirma que um dos setores que mais requer treinamentos é o de serviços. Trata-se de profissionais que precisam de conhecimento sobre os novos produtos e procedimentos, entre outros itens, para atenderem o consumidor adequadamente. Nesse segmento, há a Gerencial Brasil que opera hoje com mais de três mil funcionários, em 12 estados. Segundo o diretor de Planejamento e Novos Negócios da Gerencial, Sidney Porto, neste negócio, nada pode ser mais importante que o funcionário na ponta do atendimento.


“Mais de 99% dos nossos funcionários possuem, no mínimo, segundo grau completo, mas a formação escolar, além de geralmente deixar a desejar naquilo que deveria suprir de conhecimentos, não é suficiente para o trabalho. Nossos funcionários devem conhecer tudo sobre os produtos e serviços que apresentam aos clientes, podendo atuar verdadeiramente como consultores. Devem também conhecer técnicas de exposição de produtos e abordagem de clientes, entre outras que lhes ensinamos em nossos treinamentos, que todos recebem antes de começar a trabalhar. Além disso são feitas constantes reciclagens, revisando o que foi ministrado e acrescentando sempre informações e técnicas mais recentes. Treinar é melhorar a performance das pessoas, o que traz mais resultados para a empresa e também para elas”, explica Sidney.