Geração Y já domina 30% do mercado

0
1



Impacientes, preocupados e, ao mesmo tempo, conectados, inovadores e flexíveis. De acordo com pesquisas, os jovens da Geração Y, aqueles que têm menos de 30 anos de idade, já dominam 30% do mercado de trabalho e iniciam uma silenciosa transformação no mundo corporativo.


Adaptar essa geração às exigências das empresas é um constante desafio. Isso acontece, segundo os especialistas, porque estes jovens encaram as relações de trabalho de forma diferente. De acordo com Daniela do Lago, especialista em comportamento organizacional, o equilíbrio na relação de trabalho, neste caso, depende, ao mesmo tempo, da dedicação do profissional e da compreensão da empresa. “Para a geração Y, a empresa precisa entender que o resultado do trabalho não está nas 44 horas semanais, muito menos em horários comerciais. A produtividade acontece a qualquer momento” , comenta.


Fugir de atividades que gerem rotina e aprimorar o desenvolvimento técnico, pessoal e profissional são habilidades buscadas constantemente pelos profissionais da geração Y. Para atender essas expectativas, muitas vezes, empresas precisam renunciar antigos comportamentos e se adaptar a novos formatos de comunicação. Rever questões como o trabalho em equipe e hierarquia também está entre as prioridades: “Essa geração nasceu com a internet, ferramenta que elimina fronteiras e que facilita dinâmicas do trabalho. Portanto, discutir os benefícios ou males da rede mundial não faz sentido. Além disso, eles não respeitam hierarquias e estão acostumados a trabalhar sozinhos, sem interação com o mundo real. As conexões são virtuais” – avalia Daniela, que também é professora da Fundação Getúlio Vargas (FGV).


Quando o assunto é vida pessoal, a visão não é diferente. Para os jovens da Geração Y, carreira e vida pessoal não se separam. “Não existe dia útil ou horário comercial. A vida profissional invadiu a vida pessoal, afinal o trabalho tem significado diferente”. Isso acontece, segundo a especialista porque estes jovens querem dar sentido à vida, e rápido, enquanto fazem outras dez coisas ao mesmo tempo. Como eles buscam significado em suas atividades, trabalham por prazer e porque gostam, se recusam a fazer algo que não traga sentido à vida.