Inin investe R$ 2 mi em oferta na nuvem

0
16



A Interactive Intelligence disponibiliza, no Brasil, o Communication-as-a-Service (CaaS), sua oferta de contact center na nuvem. Neste modelo, as licenças do software CIC 4.0, da Inin, são armazenadas em servidores próprios, instalados – juntamente com a infraestrutura de comunicação e de storage – em modelo de colocation, no data center da Alog de Tamboré, em São Paulo.

 

A empresa investiu R$ 2 milhões em infraestrutura de hardware, software e serviços por trás da oferta de contact center na nuvem. “A pujança do mercado brasileiro de contact center, um segmento que emprega mais de um milhão de pessoas, nos levou a investir pesadamente para sermos os primeiros a trazer uma oferta completa, com sólida infraestrutura e políticas de redundância e segurança ao Brasil”, destaca Eric Lieb, country manager da Inin do Brasil. No período entre 2010 e 2011, a procura global pelo modelo CaaS da Inin cresceu 88%.

 

O executivo espera conquistar, até o final de 2012, cinco clientes operando neste formato, isso porque algumas empresas já estão em negociação com a Inin. “São companhias lideradas por pessoas que percebem claramente os ganhos que nossa oferta CaaS traz: reduzir custos, encurtar de meses para semanas o prazo de implementação do novo contact center e aumentar a disponibilidade de todo o ambiente”, coloca.

 

Para grandes, médias e pequenas

Tanto empresas grandes como médias e pequenas podem se beneficiar da oferta, como aponta o gerente. “As gigantes do mercado de contact center passam a contar com uma opção em que a operação, a manutenção, o upgrade e a atualização constante deste ambiente passam a ser feitas pela Inin; é um modelo que libera a área de TI para outras tarefas”.  No universo de empresas médias e pequenas voltadas para o mercado de contact center, a oferta CaaS resolve muitos desafios. “Tratam-se de companhias com orçamentos limitados e que nem sempre contam com equipes de TI internas; a possibilidade de usar a infraestrutura na nuvem não só resolve esses desafios como provê a melhoria contínua do ambiente tecnológico do contact center, algo essencial para o crescimento dos negócios”, ensina Lieb.