Liderança é para todos?

0
2
Autora: Juliane Yamaoka
Como saber se uma pessoa está pronta para trocar um papel de colaborador individual para um trabalho que inclua a gestão de pessoas? Infelizmente essa tarefa não é tão simples quanto parece. Para assumir um cargo como este, é preciso ter conhecimento do conteúdo e ter a capacidade de demonstrar comportamentos que levarão a uma boa gestão de pessoas.
Quem estiver interessado em assumir este papel, confira alguns pontos que devem ser analisados:
– Você alcança resultados consistentemente positivos em seu trabalho atual?
Se você não consegue concluir as tarefas com excelentes resultados, é pouco provável que você seja capaz de lidar com as responsabilidades adicionais que vêm com o gerenciamento de pessoas. Você tem que provar que é organizado, motivado, e está pronto para enfrentar os desafios de alto nível.
– Você tem estabelecido relações de trabalho positivas com todos os funcionários da empresa?
É necessário cultivar relações de confiança com outros funcionários, especialmente com os responsáveis pelos diferentes departamentos. Se você é um solitário que raramente interage com outras pessoas, então você deve reconsiderar seus objetivos de carreira e procurar oportunidades para testar suas habilidades de gestão de pessoas, como por exemplo, liderar equipes de projeto.
– Você é capaz de demonstrar liderança de sucesso em equipes com vários participantes?
O título de gerente de pessoas não é dado a funcionários que não consigam provar que estão prontos para o cargo. Uma maneira para conseguir demonstrar isso é ser voluntário ou assumir papéis de liderança em equipes de projeto com, pelo menos, três ou mais membros e obter sucesso nessa tarefa.
– Você lida bem com conflito e é capaz de analisar todos os ângulos de uma situação antes de reagir?
Lidar com conflitos de forma proativa requer a capacidade de se manter equilibrado e descobrir todas as informações necessárias para analisar os vários ângulos de uma situação antes de reagir. Aqueles com problemas de controle emocional raramente se tornam bons gerentes de pessoas. Ser justo e imparcial, ter calma sob pressão, integridade, ética, dar crédito a quem é devido, ser capaz de mediar conflitos, tolerante e acessível, tratar os outros com respeito e ser capaz de gerir a mudança são características essenciais para a gestão de pessoas.
– Você é um bom treinador ou orientador?
Ser um gerente de pessoas significa que você precisa ser um bom treinador, pois vai utilizar-se de ferramentas de coaching para ser mentor todos os dias. Para isso, algumas características são necessárias: excelente comunicação escrita e verbal, habilidades de escuta ativa, paciência, empatia, capacidade de motivar os outros, ser confiável, colaborativo, valorizar os outros, valorizar a diversidade e ser confiante – mas não arrogante.
– Você é respeitado pelos seus colegas de trabalho?
Como gerente, haverá momentos em que você terá que tomar decisões baseadas no que é certo contra o que é politicamente correto – e nem todos vão gostar de suas decisões. Respeito é algo que você conquista e isso significa que as pessoas reconhecem a sua experiência, conhecimento, influência, credibilidade e, o mais importante, seu caráter e integridade.
Você é visto pela administração da empresa como um líder?
A empresa te identifica como um funcionário de alto potencial? Será que ela tem um plano de desenvolvimento e de carreira para você? Qual a frequência de treinamentos que você recebe por ano? A empresa te oferece críticas construtivas no seu feedback? Se suas respostas para estas perguntas forem “sim”, é um sinal de que a empresa vê o seu potencial.
Nem todo funcionário vai ser um bom gestor de pessoas, pois é muito mais difícil do que se imagina. Algumas pesquisas já revelaram que apenas uma em cada 10 pessoas possui características necessárias para ser um bom gerente. Portanto, antes de saltar para um papel de gerenciamento de pessoas, certifique-se que você está preparado para isso.
Juliane Yamaoka é gerente geral da Efix.