Melhora o perfil de risco de crédito da Atento

0
2


A Fitch Ratings elevou, hoje, o Rating Nacional de Longo Prazo para ‘AA(bra)’ de ‘A+(bra)’ (A mais (bra)) da segunda emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) da Imigrantes Companhia Securitizadora de Créditos Imobiliários (Imigrantes). Os CRIs foram emitidos em 9 de outubro de 2004, em montante nominal de BRL30,5 milhões, com prazo de dez anos. As amortizações de principal e os pagamentos de juros são anuais, com taxa de 10,4% ao ano e correção do saldo devedor pelo Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M). Os CRIs têm vencimento final em outubro de 2014.

Esta emissão de CRIs é lastreada por recebíveis imobiliários oriundos de um contrato de direito real de superfície, celebrado em outubro de 2004, entre a Badaró Investimentos Imobiliários e Participações Ltda. (Badaró), a Atento Brasil S.A. (Atento) e o Grupo Atento. A propriedade objeto deste contrato localiza-se no centro da cidade de São Paulo e abriga um dos principais contact centers da Atento.

Esta ação de rating reflete a melhora do perfil de risco de crédito da Atento, na condição de única fonte pagadora dos recebíveis imobiliários lastreantes da emissão de CRIs. O rating também indica a qualidade dos elementos estruturais, que visam mitigar de forma adequada os riscos inerentes de descasamento de taxas de juros e correção monetária entre os ativos (créditos imobiliários) e passivos (CRIs). Os detentores dos CRIs ainda contam com fiança bancária equivalente à próxima amortização de principal e juros, atualmente prestada pelo Banco Votorantim S.A. Como parte integrante do monitoramento desta emissão, a Fitch revisa regularmente o perfil de risco de crédito da Atento.

A Atento apresentou melhora no risco de crédito, em função dos resultados operacionais obtidos nos últimos dois anos, da redução da alavancagem e da perspectiva de continuidade de expansão dos negócios, nos próximos anos. Além disso, a empresa possui certa flexibilidade financeira, proporcionada pelo vínculo com o Grupo Telefónica no Brasil, do qual faz parte, o que amplia o acesso ao crédito.