Não dá para esperar, o futuro é agora

0
11

Talento, ética, ousadia, coragem e persistência estão no código genético de um líder nato. Obviamente que este DNA privilegiado tem de se traduzir em resultados, cumprimento de metas e lucros, sem que isso represente em horas intermináveis de trabalho. Pode parecer paradoxal, mas o tema é verdadeiro e atual. Dessa maneira, despenca-se o mito de que não é mais necessário fixar residência no escritório para alcançar os principais cargos das empresas. As consultorias de recursos humanos formulam teses sobre o novo conceito de produtividade, sepultam os workaholics, crucificam as longas jornadas, e até incentivam o hobby como receita para arejar as idéias e manter a renovação constante da criatividade. Hoje em dia, valoriza-se o executivo que mescle com sabedoria e equilíbrio a vida pessoal e profissional. Aqui, diante da novidade, cabe uma pergunta pertinente: afinal de contas, qual a relação existente entre as decisões a serem tomadas no escritório com o salto de asa delta no fim de semana?

Está em alta no mercado aquele profissional reconhecidamente dotado de múltiplas habilidades. Praticar esporte ou ter um casamento estabilizado, por exemplo, são fatores que podem influenciar na admissão ou até servir de parâmetros na análise da performance individual. Seja como for, este cenário cada vez mais competitivo exige um nível de atuação sempre em alto nível de inspiração e efetividade. Diante disso, cabe ao líder renovar-se e arejar-se constantemente para buscar as melhores saídas. Portanto, respondendo à pergunta anterior, o personagem fictício que saltou de asa delta, inspirou-se com o azul do céu e descarregou a adrenalina proporcionada pelo vôo, terá totais condições de encontrar as melhores soluções para as dificuldades cotidianas.

Mas como criar, empreender e viabilizar as boas idéias? A resposta é perversa, impiedosa, e extremamente simples. Ou o executivo se renova ou sucumbe diante da concorrência, porque no vizinho sempre terá alguém mais bem preparado, de olho na sua vaga, com gás suficiente para conquistar resultado. Quando o líder se fragiliza, a equipe perde o rumo, desestabiliza-se, fica desnorteada. A influência do comandante é permanente e fundamental para a seqüência do projeto e a manutenção dos talentos. As inovações tecnológicas e as novas maneiras de fazer negócios transformaram o panorama corporativo. A atualização tem de ser feita a todo minuto, a toda hora, a todos os instantes. O profissional necessita se preparar adequadamente para atender a demanda gerada pelo volume da ciência da informação. Na verdade, não existe segredo ou alguma fórmula mirabolante: a ordem é investir na qualificação profissional, que é na verdade o grande patrimônio. É estudar, estudar, estudar..

A vitalidade intelectual vai transformar o pensamento, garantir conhecimento, vantagens competitivas e, principalmente, agregar valor aos negócios. E é justamente nesta direção que as empresas caminham. As corporações oferecem condições, recursos e ambiente organizacional. Cabe ao talento, com sua capacidade de pensar, inovar e pensar diferente, utilizar todas as ferramentas disponíveis para identificar oportunidades e criar novos produtos e serviços. Então, não há como fugir de outra questão, talvez a mais importante de todas. Você sente-se preparado para o futuro? Sem medo de errar, emendo que o tempo consome as hipóteses: o futuro é hoje.

Vera Gobetti é diretora de Recursos Humanos da BSH Continental
Fonte: AM3 Telemarketing