Negocie qualquer coisa com qualquer pessoa

0
3
Em seu novo livro “Negocie qualquer coisa com qualquer pessoa”, publicado pela Editora Gente, o consultor em gestão de pessoas Eduardo Ferraz mostra como negociar diversas situações delicadas. Por exemplo: Como dizer não sem ofender? Como expor seus talentos sem parecer arrogante? Como aumentar seus ganhos? Como lidar com pessoas difíceis? Como definir uma remuneração mais justa? Como reagir a uma proposta absurda? Como evitar conflitos? Como agir em relacionamentos problemáticos? Para isso, o livro está dividido em três partes: a base – o que você precisa saber antes de negociar qualquer coisa; a preparação – como se preparar antes da negociação; e a ação – como agir quando estiver frente a frente com seu interlocutor.
O leitor poderá fazer testes práticos que complementam as técnicas ensinadas, como a análise de perfil, que influenciará bastante o estilo de negociação. “Existem, na prática, cinco estilos principais, o competitivo, o cooperante, o impaciente, o perfeccionista e o sedutor. Cada um deles tem características específicas que precisam ser bem conhecidas para o sucesso dos acordos”, explica Ferraz.
O autor afirma que “é fundamental aprender a negociar bem, pois quase todo indivíduo, mesmo sem perceber, executa dezenas de negociações no dia a dia: o horário dos filhos dormirem; a compra ou a venda de um carro ou imóvel; uma taxa com o gerente do banco; um reajuste salarial com o chefe ou subordinado; onde passar o Natal com a família; um corte de despesas em casa ou no trabalho. Entretanto, nesses momentos podem surgir várias dúvidas: Será que não deveria ter insistido mais? Não fui muito duro – ou muito complacente? Paguei mais caro do que deveria? Será que não cedi demais? Causei boa impressão na apresentação de um projeto? Fui convincente na entrevista de emprego?”.
O livro mostra ainda que negociar bem não significa ganhar sempre, mas chegar a acordos mutuamente vantajosos. “Um bom acordo pode ser recusar a proposta de sociedade de um grande amigo, sem magoá-lo, ou convencer o cônjuge que ronca alto a procurar um tratamento, de bom grado. A realidade é que saber negociar o básico se tornou questão de sobrevivência, pois quase todo dia você terá de tratar situações com gente que conhece e gosta (um amigo); conhece e não gosta (um colega de trabalho chato); não conhece, mas não tem restrição (um novo cliente); não conhece e não gostaria de conhecer (o namorado esquisito de sua filha adolescente ou o pai esquisito de sua namorada adolescente)”, completa Ferraz.
Ficha Técnica
Título: Negocie qualquer coisa com qualquer pessoa 
Autor: Eduardo Ferraz 
Editora: Gente
Páginas: 192
Preço: R$29,90

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorA tecnologia como aliada
Próximo artigoTerceirização volta a votação