O mapeamento da excelência

0
2
Autor: Edilson Menezes
Antes da excelência propriamente executada, o desejo de ser excelente está gravado em nosso DNA. Ninguém deixa de agir com esta rica qualidade na vida pessoal ou profissional porque quer. Aos poucos, a pessoa vai perdendo pontos cruciais que a compõem.
Nos treinamentos comportamentais, alunos são convidados a quebrar madeira com as mãos, através de um contato com a energia de raiva. Caminham sobre brasa incandescente, vidro picado, saltam do alto de uma escada; fazem de tudo. Quando estão prontas para realizar a tarefa, vivenciam o ápice da excelência e assim conseguem estas e muitas outras proezas.
Em casa, cercados daqueles que amamos, muitas vezes atuamos em baixa performance de convívio, afeto e compreensão. No trabalho, rodeados de amigos e colegas, não raro atuamos com redução de performance, intolerância, impaciência e economia emocional.
Cientes de que a excelência está comprometida, ao invés de retomá-la imediatamente, que é muito mais difícil, podemos mapear outros componentes dela, menores, mas importantes na função de engrenagens.
Sair da excelência e voltar imediatamente é tão fácil quanto sair e voltar de um trem em movimento.
Frustrados, tendemos a permanecer em baixa performance. A partir deste texto, proponho que você observe o mapa da excelência e preenchatrês critérios faltantes. Quando todos estiverem em harmonia e os remédios regularmente tomados, tenha certeza: você voltou para o trem.
Processo alérgico
Quando ficamos por longos períodos sem praticar exercício, a volta é fisicamente tão traumática que faz alguns desistirem. Após determinado tempo longe da excelência, voltar é igualmente impactante. A pessoa parece desenvolver uma espécie de alergia à excelência e sempre que está chegando perto do altopotencial, volta a economizar esforços. O antialérgico recomendado é a determinação em doses regulares, pois como qualquer tratamento, não adianta tomar apenas um comprimido.
Impotência emocional
A impotência sexual amedronta os homens e frustra as mulheres, mas a impotência emocional tem semelhante gravidade. Com certeza, você conhece alguém que tenta ser excelente, mas sempre falha. No caso da analogia aqui utilizada, a medicina oferece remédios. Já a potência emocional, peça-chave da excelência, somente pode ser recuperada através de um elemento: desejo.
O grande paradoxo da humanidade é temer a impotência sexual e ignorar a impotência emocional. Quando as nossas grandes aspirações desaparecem, a morte recebe o primeiro convite ao flerte. Logo, mantenha-se em estado alerta de desejo.
Obesidade comportamental
Se pudéssemos somar as pessoas que fazem ou já fizeram algum tipo de dieta no Brasil, o número nos deixaria surpresos. Nada contra, que continuem zelando pelo templo físico que carregam, mas a provocação análoga que desejo fazer é outra.
As pessoas engordam porque comem gordura em excesso. Deixam de ser excelentes porque comem negativismo. Há quem ganhe peso porque abusa do doce. Há quem ignore a excelência porque abusa das amarguras que engole. 
Se eu fosse nutricionista, sugeriria como antídoto tudo que é capaz de deixar a pessoa leve: otimismo, perdão íntimo e alheio; confiança no próprio potencial e total desconfiança de quem sugerir que você não pode, não consegue ou não merece a excelência em sua vida.
Portanto, o equilíbrio emocional gera comportamento assertivo, que é um fiel soldado do processo de excelência.
E creia: até mesmo para desejar e ser excelente, a escolha, como sempre, é apenas sua!
Edilson Menezes é treinador comportamental e consultor literário. Atua nas áreas de vendas, motivação, liderança e coesão de equipes.