Os vilões das equipes

0
1
Seja em uma empresa de grande ou pequeno porte, manter colaboradores motivados é sempre um grande desafio para o gestor. O desânimo surge quando algo começa a incomodar o profissional. Se isso tornar-se frequente, acaba exercendo influência sobre o seu rendimento, tornando-o improdutivo. Pensando nesse tema, o Nube – Núcleo Brasileiro de Estágios realizou uma pesquisa entre os dias 9 e 20 de março, com a questão: “O que mais desmotiva uma equipe?”. O resultado apontou a importância de zelar pela transparência e respeito em uma corporação.
Dentre os 12.175 participantes, 38,03% escolheram a opção “Mentiras e desrespeito”. Ou seja, 4.649 pessoas perdem o interesse em suas atividades quando há desacato ou sentem-se enganadas. “Esses dois pontos influenciam muito, pois os jovens podem levar algumas situações para o lado pessoal”, explica Skarlett Oliveira, analista de treinamento do Nube. “Por exemplo, se um chefe oferecer um plano de carreira e não conseguir cumprir por qualquer razão, é necessário encontrar a melhor forma de sinalizar o ocorrido, porque o funcionário pode se sentir desrespeitado e criar uma falsa imagem sobre o superior e sua equipe”, enfatiza.
A motivação envolve fenômenos emocionais, biológicos e sociais. Por isso é responsável por impulsionar os indivíduos a agir para alcançar seus objetivos. “O gestor auxilia a gerar o estímulo, mas se o colaborador não quiser assistência, não há como estabelecer um plano de ação, pois é um processo interno”, explica a especialista.
Com 26,72% (3.266 respondentes), ficou a alternativa “Falta de comunicação” e, em terceiro lugar, 22,88% (2.797 pessoas) assinalaram a resposta “Problemas de relacionamentos entre os colegas”. Segundo Skarlett, essas duas escolhas “são bem interessantes por serem muito parecidas com o comportamento da geração Y”. Para ela, “fatores como benefícios e remuneração também são relevantes, porém não influenciam diretamente no convívio, como o relacionamento interpessoal”, avalia.
Por último, quem se aborrece com “Competitividade e falta de confiança” , recebeu 12,38% das atenções, ou seja 1.513 votos. Contudo, “todos precisam ser competitivos, não necessariamente uns com os outros, mas também consigo mesmo, para impor suas metas e planejar atividades”. De acordo com a analista, “isso se torna um ponto para a desmotivação quando tudo vira disputa, esbarrando novamente na questão dos problemas de relacionamento”.