Clique e visite a landing do Congresso ClienteSA 2022

O canal para quem respira cliente.

Pensar dói?

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Luciano Pires

Tenho encontrado com freqüência pessoas que estão perdendo o hábito de pensar. Muitos são jovens que parecem ter os cérebros desligados ou no piloto automático. Chega a ser assustador.
Pensei a respeito. Levamos uma vida ocupadíssima. Temos pessoas com as quais lidar… Decisões a tomar… Estratégias a desenvolver e monitorar… Planos a implementar… Conflitos… Negociações…
Acordos… Valores a trocar… É preciso pensar para fazer acontecer.
Fui pesquisar sobre esse ato saudável que é o pensar e encontrei algumas definições interessantes. Uma delas diz que o propósito do pensar é arranjar o mundo em nossa mente de forma a poder aplicar a emoção efetivamente. Por mais racionais que sejamos, no final é sempre a emoção que faz as escolhas e toma as decisões. A gente examina os dados técnicos, compara os atributos, chora o preço, olha pra força do motor, pergunta sobre o sistema de suspensão mas, no final, escolhe o carro que quer comprar pela emoção. É o desenho do carro, a sensação que ele traz, a impressão que causa, que acabam determinando a escolha. Pura emoção.
É assim também com o livro que vamos ler, a pessoa com quem vamos casar e até mesmo o fornecedor que vamos contratar. Por mais fria que seja a análise, no fundo é a emoção que faz a diferença.
É por isso que as empresas hoje em dia gastam dezenas, centenas, milhões de reais em sistemas e processos que tenta recriar aquilo que meu avô sabia em 1925: chamar o cliente pelo nome, saber do que ele gosta, avisar quando a mercadoria certa chegou… Hoje chamam isso de CRM – Customer Relationship Management, não é chique? Custa um monte de dinheiro. Tentam fazer com que os computadores atuem sobre a emoção das pessoas.
Não é o máximo quando chega o cartão da loja comemorando seu aniversário? Quando você liga para aquele 0800 e a pessoa pergunta sobre seu time do coração? Pois saiba que são os truques do marketing que tentam fazer com que você oriente sua emoção para escolher aquela empresa.
E quando a gente não pensa, é isso mesmo que acaba acontecendo. Deixamos que vendedores competentes manipulem nossas emoções e consigam que façamos o que eles querem.
É assim que hoje elegemos políticos…
Quando começamos a pensar, a refletir, deixamos de ser uma manada de bovinos resignados e passamos a agir como gente que tem vontades. Gente que observa, julga e toma suas escolhas conscientes. Gente que arranja o mundo em suas mentes para aplicar a emoção de forma efetiva.
Pense nisso.
Pense.
Luciano Pires é jornalista, escritor e cartunista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima