PeopleSoft entra com processo judicial contra Oracle

0
2

A PeopleSoft, Inc. anunciou que está processando a Oracle Corporation na justiça para encerrar o que a empresa caracteriza como uma oferta hostil, cujo objetivo é destruir os negócios da PeopleSoft. A queixa, feita junto ao Tribunal Superior do Condado (Município) de Alameda, alega que a Oracle adotou práticas comerciais desonestas, difamação comercial e interferência prejudicial no relacionamento da PeopleSoft com os clientes.
De acordo com o processo, a verdadeira intenção da Oracle ao fazer essa oferta de compra foi minar as operações comerciais da PeopleSoft menosprezando seus produtos, serviços e perspectivas futuras, prejudicar a viabilidade da PeopleSoft, criando incertezas e dúvidas na mente dos clientes da PeopleSoft e dos clientes em potencial, e interferir no plano da PeopleSoft de efetuar a fusão com a J. D. Edwards and Company. A PeopleSoft também alega que a campanha da Oracle na mídia engana o mercado com relação à capacidade da Oracle de oferecer suporte contínuo aos atuais clientes da PeopleSoft e não revela os grandes obstáculos e os custos que os clientes da PeopleSoft terão de enfrentar na migração para uma plataforma Oracle. Essa apresentação imprópria feita pela Oracle em vários comunicados à imprensa, coletivas e outras comunicações fariam parte de um esquema para congelar as decisões de compra dos clientes e afetar desfavoravelmente as vendas da PeopleSoft no final do trimestre.
“Ao fazer uma oferta com a intenção reconhecida de eliminar os negócios da PeopleSoft, a Oracle está procurando abalar os esforços da PeopleSoft de completar novas vendas e, portanto, prejudicar efetivamente os negócios da PeopleSoft, mesmo que a Oracle nunca compre uma única ação da PeopleSoft,” disse Craig Conway, presidente e CEO da PeopleSoft. Conway também reafirmou o plano da PeopleSoft de continuar sua fusão com a J. D. Edwards. “Nós pretendemos competir vigorosamente no mercado e completar a fusão com a J. D. Edwards, apesar dos esforços ilegais da Oracle para destruir a concorrência,” concluiu Conway.
O processo judicial pretende conseguir um mandato judicial para impedir que a Oracle continue com sua oferta de compra, como sendo a única forma de proteger os negócios da PeopleSoft.