Pivotal investe para consolidar crescimento no País

0
1

A Pivotal está incrementando os negócios no Brasil. Parte da estratégia é a visita do strategist Bill Larson ao País. Na bagagem, a visita a clientes, prospects e encontro pontuais. Ao lado de Luiz Pimentel, fundador da STA (significado de Strategy, Technology, Action) Relationship Solutions, seu representante oficial, Larson comentou que planeja ampliar os negócios no País e investir US$ 400 mil, no próximo ano.

A aposta da empresa canadense, que vem expandindo seus negócios mundiais por meio de parceiros globais, está nos canais locais para dar suporte aos clientes internacionais, além de abrir novos negócios, com clientes também locais. “A estratégia da empresa permite este crescimento e dá liberdade aos parceiros, dando todo apoio estratégico”, admite Pimentel. Tanto que, na carteira de clientes, a STA contabiliza empresas como Telesp Celular, Cannon, Motorola, Syngenta, Compaq e IOB.

“Acreditamos na flexibilidade das ferramentas que dispomos”, afirma Larson. Pimentel explica que as soluções envolvem todas as áreas que compõem o negócio como call center e telemarketing, por exemplo, independente do tamanho e tipo de negócio. “A implementação ou indicação para a implementação, parte de uma completa consultoria”, comenta Pimentel. Sobre este processo de venda, Pimentel justifica que a estratégia da empresa é “entender a necessidade do cliente para vender. É a aplicação do conceito de CRM”.

Com este conceito empresarial, Pimentel justifica o investimento no mercado brasileiro. “O momento é oportuno, pois acreditamos que a flexibilidade que as soluções dispõem se encaixam com a expectativa dos empresários brasileiros e perfil das empresas”, comenta. “Esta, aliás, é a estratégia que está levando a Pivotal a sedimentar sua expansão internacional”, diz Pimentel.

Quem é a Pivotal – Fundada há 8 anos, a canadense Pivotal inicioi o desenvolvimento de soluções de CRM há cinco anos. Hoje, tem mais de 1.100 clientes em vários países e a expectativa da empresa é faturar este ano US$ 90 milhões, sendo US$ 1 milhão no Brasil, apenas em licenças.