Poly nomeia brasileiro para liderar as Américas

Estratégia de Pierre Rodriguez é exportar modelo de negócios focado em empresas de todos os portes aplicado com sucesso na AL

0
14
Pierre Rodriguez, líder das operações da Poly para a unidade América International
Pierre Rodriguez, líder das operações da Poly para a unidade América International

A Poly anuncia a nomeação do brasileiro Pierre Rodriguez como líder das operações para a unidade América International, que engloba todo o continente, exceto os EUA. A companhia também revelou os resultados referentes ao último ano fiscal, encerrado em abril. Houve crescimento de 17% no último trimestre em comparação com o ano anterior, impulsionado principalmente por vídeo, produto cujo desempenho mais do que dobrou no período, batendo um recorde histórico. Além disso, os headsets profissionais também cresceram 20%, em relação aos mesmos três meses de 2020. O executivo, que antes de assumir o novo cargo coordenou as ações da organização na América Latina, comenta que os números consolidam uma trajetória de crescimento médio anual de 20% que a empresa vem mantendo nos últimos anos. Segundo ele, este cenário tem todas as condições de ser mantido e até ampliado, muito em função das transformações que estão ocorrendo no ambiente de trabalho.

“No ano passado, no início da pandemia, os escritórios das empresas fecharam e o avanço do home office forçou uma corrida para comprar headsets e sistemas de vídeo específicos para este tipo de uso.  Agora, o mundo corporativo está migrando para o modelo híbrido, que marca o retorno ao escritório. Mas a forma de trabalhar e de se comunicar neste local de trabalho será totalmente diferente do que era antes. As pessoas não irão para o escritório para ficar cada uma em seu próprio computador. Só fará sentido o retorno se for para realizar suas ações e se relacionar com outras pessoas. Então, as estruturas precisarão estar adaptadas para este cenário  com telefonia, equipamento de vídeo e headsets não mais para o home office, mas sim para uso neste novo tipo de escritório. Algumas organizações já perceberam isso e outras ainda irão perceber. Desta forma, acreditamos que o ritmo de crescimento das nossas vendas permaneça no mesmo patamar ou até aumente”, afirma.

Outro impulso no ritmo de crescimento da Poly deve vir da exportação da estratégia de vendas usada na América Latina para todo o continente. Rodriguez explica que até poucos anos o uso de vídeo, por exemplo, era um privilégio e uma necessidade apenas para empresas de grande porte. Ocorre, segundo ele, que mais recentemente isto deixou de ser uma verdade e agora se trata de uma ferramenta essencial para todas as empresas. “Percebendo isso, nós modificamos a estrutura de nosso departamento de vendas ampliando significativamente nossos canais de vendas para aproximadamente 500 parceiros apenas no Brasil. Isso nos permitiu estar mais perto dos clientes dos mais variados portes e atendê-los em suas necessidades. Os resultados nos encorajam a replicar este modelo para as regiões onde ele ainda não está implantado, como por exemplo no Canadá, e me sinto honrado, como brasileiro, por estar à frente desse desafio”, diz.