Provider entrará para Bovespa Mais

0
0

A Provider se prepara para abrir capital e ingressar no Bovespa Mais, o chamado “segmento de acesso” da bolsa. De acordo com o presidente da empresa, Moises Assayag, a intenção do investimento é realizar uma oferta inicial  de ações na segunda metade do próximo ano ou no começo de 2013. 
Atualmente, a empresa – que faturou R$ 235 milhões em 2010 – está em busca de um parceiro estratégico. O valor e o prazo para a oferta dependem do sucesso das negociações que estão sendo conduzidas por Assayag para a entrada de investidores institucionais.
Segundo ele, a empresa quer captar R$ 120 milhões com um novo sócio para levar a cabo um plano de investimentos. Com essa captação, a previsão da companhia é que o faturamento alcance R$ 1 bilhão em 2016.
Cerca de metade do aporte seria utilizado para o crescimento orgânico, com implantação de novos postos de atendimento em call centers, e para engrossar o capital de giro da empresa. Os outros R$ 60 milhões financiariam a estratégia de expansão via aquisições. “Há uma infinidade de empresas menores com as quais podemos captar sinergias”, explica o executivo. O foco recairia sobre empresas com receitas inferiores a R$ 50 milhões. “Podemos pagar preços razoáveis por essas empresas e trabalhar em cima de suas ineficiências”.
Caso a participação de um sócio estratégico se materialize, a listagem em bolsa deve ocorrer apenas em 2013. A entrada de um fundo de participação, por exemplo, seria uma etapa intermediária até a abertura de capital. “É mais fácil convencer um investidor influente do meu modelo de negócio do que falar diretamente com o mercado”, explica Assayag.
Porém, se as negociações com investidores institucionais se frustrarem, a Provider pode fazer uma oferta já no segundo semestre de 2012. Em qualquer uma das hipóteses, o pedido de registro de companhia aberta à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) será protocolado no começo do próximo ano.
Fundada no Recife em 1996 por quatro sócios – todos com a mesma participação -, a Provider vem preparando o terreno para o ingresso no mercado de capitais desde 2009, quando teve início um processo gradual de profissionalização da gestão e aprimoramento da governança.
Fonte: Jornal Valor Econômico