Quem bloqueia ligações de telemarketing?

0
10



Um ano após o início da lei de bloqueio de ligações de telemarketing, a ZipCode apresenta estudo com o perfil dos usuários que registram os números no site da Fundação Procon de São Paulo. O mapeamento faz uma radiografia de 80% dos telefones registrados. Pelo levantamento feito em março, mais de 428 mil números fixos e móveis estão cadastrados. A análise anterior, realizadas dezembro passado, registrou 554 mil linhas. De acordo com o estudo, dos telefones cadastrados, 361 mil são fixos, e 107 são móveis. Deste total, 69% são usuários pessoas físicas, 8% pessoas jurídicas e 23% são celulares registrados tanto em pessoa física, quanto jurídica.

 

Para identificar o perfil dos 300 mil consumidores paulistas que acessaram o site do Procon-SP e fizeram o cadastro, a ZipCode, de posse dos telefones armazenados, fez o cruzamento das informações em sua base de dados. Do cruzamento, foi identificada a renda salarial de 24% dos cadastrados no site do Procon-SP. Deste montante, 43 mil ganham até R$ 3 mil; 32,9 mil recebem entre R$ 3,1 mil e R$ 7 mil; e 14,9 mil ganham acima de R$ 7,1.

 

O destaque para o estudo é a faixa etária dos cadastrados. Somando os consumidores acima de 56 anos, chega-se a um percentual de 28%. Os que estão entre 46 anos e 55 anos totalizam 25%; os que estão entre 36 anos e 45 anos somam 18%, o mesmo percentual é identificado na faixa dos 26 anos a 35 anos. Os jovens de 18 anos a 25 anos representam 11%.

 

Ricardo Sleiman, CEO da ZipCode, analisa a queda acentuada dos números registrados desde o início da lei em vigor até o momento. Segundo ele, o bloqueio de call center é um serviço à sociedade que beneficia o cidadão que não quer ser importunado. “Mas não são todas as pessoas que desejam parar de receber ligações telefônicas. O que precisa ser mudado no contato com o usuário, é a forma de abordar o cliente”, explica.