O canal para quem respira cliente.

Quer ser um líder?

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin



Se antes o domínio de um segundo idioma era o diferencial para os jovens que pretendiam conquistar espaço em grandes empresas, agora, para fazer a diferença, é preciso ser líder. O papel do chefe mudou, a hierarquia do ambiente de trabalho foi alterada e, hoje, todos colaboram nas decisões e fazem sugestões e críticas que desencadeiam no aprimoramento da empresa, dos produtos desenvolvidos e dos serviços oferecidos. “A liderança é uma característica nata, mas é possível desenvolvê-la, sim”, garante Fernanda Abreu, diretora de pessoas, projetos e gestão do Instituto Aquila, consultoria de gestão.

 

A diretora listou cinco sugestões de como desenvolver a liderança:

 

– Conhecimento: para liderar, as pessoas precisam enxergar em você aquilo que elas não têm, como é o caso de alguns tipos de conhecimento. Estudar e viajar, por exemplo, são excelentes formas de conquistar mais experiências;

 

– Respeito: já passou a época do capataz. Agora, a equipe quer ser ouvida e respeitada. A presença da geração Y só reforça essa tendência. O líder só irá impor respeito se respeitar seus liderados;

 

– Foco: saber aonde e como ir é essencial. As metas traçadas auxiliam a equipe e, até, estimulam os liderados. Procure ter objetivos de curto, médio e longo prazos;

 

– Organização: facilita e agiliza o trabalho, principalmente se envolver um grupo. Pessoas organizadas sabem onde estão as anotações, dados e documentos que proporcionam economia de tempo para a equipe.  Não é preciso usar aplicativos incríveis ou tablet para exibir organização. As anotações continuam valendo, quando bem organizadas;

 

– Avaliar: reconhecer nas pessoas habilidades e incentivá-las, fazendo as mudanças que sejam necessárias para que avancem nos projetos. O coaching individual é o melhor caminho, conversando com a equipe e também com cada integrante dos grupos de trabalho. Aqui, vale a regra do aproveitamento do tempo: conversas curtas, de 10 minutos no máximo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima