Rumo à liderança

0
4
Autora: Roselake Leiros
Embora a população feminina no Brasil represente 51,3% do seu total, nos comparativos que dizem respeito à presença da mulher no mercado de trabalho e da sua presença em setores de maior remuneração, esse número ainda é muito pequeno, segundo a SPM, Secretaria de Políticas para as Mulheres, do Governo Federal.
O progresso, a evolução da trajetória das mulheres no meio profissional é incontestavelmente honrosa, e, portanto, merece nossas reverências a todas que fizeram e fazem parte dela.
Desde o início foi preciso muito esforço a cada mulher, que sonhou e ousou transpor os obstáculos que se apresentaram. Não foram simples conquistas individuais, elas aproximaram “a mulher como um todo” do direito de SER cidadã, da igualdade de direitos. Mas continuemos a avançar cada vez mais reconhecendo o nosso infinito poder de lutar e vencer pelos nossos direitos.
As questões começam na inserção da mulher no mercado de trabalho. Geralmente, é disponibilizado para elas os empregos menos qualificados, além de salários mais baixos em muitos dos degraus da hierarquia dos cargos.
É importante que as mulheres confiem cada vez mais nas suas capacidades e reivindiquem direitos importantes como creches, boas colocações e salários iguais aos dos homens na mesma função. Continuem buscando atingir os cargos elevados e melhor remunerados. Sonhem, façam seus planos de carreira e criem ações a cada dia que aproximem você do que você quer e merece.
Ainda hoje, o maior obstáculo para a mulher é conciliar sua vida pessoal com a profissional. O velho preconceito muitas vezes está dentro de casa, no pai, na mãe, no marido, que resistem à ideia da mulher ficar mais tempo fora de casa. Delegar as responsabilidades da casa e os cuidados com os filhos a terceiros, quando há condições financeiras, ou compartilhar com a família, são usados contra elas com muito desrespeito, ainda que esteja dando conta, graças a sua propriedade multitarefas.
Como já dissemos em inúmeras publicações, a mulher, com sua natureza sensível e forte, inteligente e proativa, ágil, multitarefas, guerreira e amorosa que respeita o tempo de cada coisa e das pessoas, vem conquistando mais e mais o seu lugar no mundo.
Dados importantes do “International Business Report 2013”, da consultoria Grant Thornton, revelam a porcentagem de mulheres nos cargos de presidentes, vice-presidentes e diretores CEOs. As mulheres ocupam 24% desses cargos no mercado mundial e especificamente no Brasil, 23%. Estamos bem representadas na alta cúpula, mas continuemos! A vitória de cada uma é a vitória de todas. Lembre-se, trata-se de nos unirmos para abrir espaços para mais e mais mulheres expressarem suas extraordinárias competências no mundo, isso é diferente de lutar contra os homens.
Roselake Leiros é diretora executiva da CrerSerMais Desenvolvimento Humano e Empresarial.